MC Mirella relembra tempo de escola e posta desabafo na web: “Me maltratavam e riam de mim”

MC Mirella relembrou tempo de escola e postou desabafo na web - Foto: Reprodução/ Instagram

MC Mirella relembrou tempo de escola e postou desabafo na web – Foto: Reprodução/ Instagram

Com mais de 9 milhões de seguidores, MC Mirella recorreu ao Instaram para postar um desabafo.

Acostumada a exibir suas curvas na rede social, a cantora relembrou os tempos de escola, revelou que costumava ser vítima de bullying e que se sentia inferior às outras crianças.

“Quando eu era mais nova, cresci com a ideia de que eu sempre era inferior às demais pessoas, por diversos motivos, por não ter a quantidade de tênis que tinham, roupas caras, a quantidade de laços que as meninas tinham, as unhas bonitas, peitão, bundão ou um coxão, os meninos falavam que eu parecia uma tábua e que nunca teria um namorado”, revelou.

Com várias tatuagens espalhadas pelo corpo, Mirella contou na postagem que tinha os dentes tortos, que era muito desajeitada, e que as pessoas costumavam rir de seus acidentes:

MC Mirella relembrou tempo de escola e postou desabafo na web - Foto: Reprodução/ Instagram

MC Mirella relembrou tempo de escola e postou desabafo na web – Foto: Reprodução/ Instagram

“Eu tinha os dentes tortos, era insegura, ia pra escola carregando uma bolsa superpesada e sempre caia e me machucava na escola e as pessoas riam de mim, a minha voz era muito fina, as pessoas me chamavam de taquara rachada, isso tudo me fez crescer com a cabecinha um pouco abalada, a sorte é que eu gostava muito de ler, assistir, mexer na internet e me distraia com isso”, continuou.

No relato, a funkeira, hoje muito elogiada por seus admiradores toda vez que posta uma nova coreografia, conta ainda que era maltratada até por suas professoras:

“Eu tinha dificuldade em matemática e química, as professoras dessas matérias, me tratavam muito mal, de vez em quando eram um pouco simpáticas, mas sempre fiquei reprimida por isso tudo. Pra alguns pode ser pouco, mas quando você está inclusa num grupo onde os demais são tratados de uma maneira superior a você, e você é uma criança, não consegue entender muito bem o porquê e isso abala”, declarou.

Além de não ser aceita na escola, Mirella disse que também não era aceita pela família:

“Todos os meninos que eu gostava quando mais nova, não gostavam de mim, todas meninas tinham um ‘namoradinho’, ficavam com seus grupinhos no intervalo e eu sempre reservada e sozinha. Para não falar que eu não tinha nada, eu tinha algumas amigas. Com o passar do tempo, minha família não aceitava muito o fato de eu dançar, mostrar o corpo dançando, e escutar funk! Então eu fui muito apontada e excluída por um bom tempo”, lembrou.

No final da postagem, a funkeira deixou um recado importante sobre autoestima aos internautas:

“O resto vocês sabem. Deus é maravilhoso, quando me sinto sozinha, triste, incompleta, ele me faz lembrar de tudo que já passei e eu agradeço por ter evoluído e aprendido com minhas dores! E isso é normal, temos sentimentos, e pessoas são os maiores causadores desses nossos sentimentos. Temos dias e dias como todo mundo. Valorize sua caminhada! Tudo no tempo de Deus! Obrigada Deus por confortar meu coração nos meus momentos de angústia”, completou.

LEIA MAIS

Marília Mendonça fala de amor e joga a real na web
Letícia Lima fala sobre término com Ana Carolina
Fani comemora novo corpo 25 quilos mais leve
Rosi Pinheiro, do Gang do Samba, exibe corpaço
Anitta rebola e ganha elogio de Sean Paul
Claudia Leitte se emociona com enxoval

Veja mais notícias de Famosos.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Quando eu era mais nova, cresci com a ideia de que eu sempre era inferior às demais pessoas, por diversos motivos, por não ter a quantidade de tênis que tinham, roupas caras, a quantidade de laços que as meninas tinham, as unhas bonitas, peitão, bundão ou um coxão, os meninos falavam que eu parecia uma tábua e nunca teria um namorado, eu tinha os dentes tortos, mal sabia andar direito, era muito insegura, ia pra escola carregando uma bolsa super pesada e sempre caia (e até hoje sou meio atrapalhada, vivo tropeçando) e me machucava na escola e as pessoas riam de mim, a minha voz era muito fina, as pessoas me chamavam de taquara rachada, isso tudo me fez crescer com a cabecinha um pouco abalada, a sorte é que eu gostava muito de ler, assistir, mexer na internet e me distraia com isso. Eu tinha dificuldade em matemática e química, as professoras dessas matérias, me tratavam muito mal, de vez em quando eram um pouco simpáticas, mas sempre fiquei reprimida por isso tudo. Pra alguns pode ser pouco, mas quando você está inclusa num grupo onde os demais são tratados de uma maneira superior a você, e você é uma criança, não consegue entender muito bem o porquê e isso abala. Todos os meninos que eu gostava quando mais nova, não gostavam de mim, todas meninas tinham um “namoradinho”, ficavam com seus grupinhos no intervalo e eu sempre reservada e sozinha. Pra não falar que eu não tinha nada, eu tinha algumas amigas. Com o passar do tempo, minha família não aceitava muito o fato de eu dançar, mostrar o corpo dançando, e escutar funk! Então eu fui muito apontada e excluída por um bom tempo. E o resto vocês sabem. Deus é maravilhoso, quando me sinto sozinha, triste, incompleta, ele me faz lembrar de tudo que já passei e eu agradeço por ter evoluído e aprendido com minhas dores! 🙏🏻 E isso é normal, temos sentimentos, e PESSOAS são os maiores causadores desses nossos sentimentos. Temos dias e dias como todo mundo. Valorize sua caminhada! 🌟 tudo no tempo de Deus! ✨ Obrigada Deus por confortar meu coração nos meus momentos de angústia ❤️🥺😢🙏🏻

Uma publicação compartilhada por Mirella (@mcmirella) em

Comentários