Cenapop
FAMOSOS

Yasmin Brunet defende Gabriel Medina e manda recado ao COB: “Não está pedindo favor”

Modelo defendeu o marido e falou sobre polêmica envolvendo COB em vídeo

Yasmin Brunet disse que o marido não está pedindo tratamento diferenciado
Yasmin Brunet disse que o marido não está pedindo tratamento diferenciado - Foto: Reprodução/ Instagram@yasminbrunet1

Redação Publicado em 07/07/2021, às 16h20 - Atualizado às 16h21

Yasmin Brunet recorreu ao Instagram Stories, nesta quarta-feira (07/07), para defender o marido, o surfista Gabriel Medina, que disse ter sido “alvo de injustiça” após o Comitê Olímpico do Brasil (COB) negar o credenciamento da modelo para acompanhá-lo nos Jogos Olímpicos.

Em junho, ao jornal O Globo, o atleta reclamou: “Estou me sentindo injustiçado porque nominei meu estafe, que é direito do atleta, segundo o que o COB falou. Eu poderia levar uma pessoa. E escolhi a Yasmin como minha estafe e não como minha esposa. Ela é meu estafe oficial desde o início do ano e, por acaso, minha esposa. Inclusive ela tem funções técnicas que já foram especificadas ao COB”, explicou.

Em vídeo, Yasmin Brunet ressaltou que Gabriel Medina “não está pedindo tratamento diferenciado”, e que só quer “ser tratado como os outros atletas”.

“Não é uma Olimpíada qualquer. É em época de pandemia. Precisamos pensar o que vai ser melhor para a pessoa. Os surfistas têm essa regra aplicada a eles, estão levando pessoas que os fazem bem. No caso do Gabriel, essa regra não se aplica. Ele não pediu tratamento diferenciado. Ele quer ser tratado como os outros, que as mesmas regras se apliquem a todos”, começou Yasmin.

“Cada pessoa do COB dá uma desculpa diferente. Já recebemos um e-mail falando sobre 'preservação de imagem do COB e dos atletas', recebemos uma desculpa de que o COB liberou e o COI não. (...) Várias desculpas que não fazem sentido”, continuou.

Ela acrescentou que Gabriel Medina está em boa fase e tem boas chances de trazer a medalha para o Brasil:

“Ele está no melhor momento da carreira dele, todo mundo sabe. Ele está representando o Brasil. Não entendo como, ele pedindo ajuda do próprio comitê, que ele tenha os mesmos direitos e possa levar quem ele quer levar, porque estão fazendo esse descaso. No momento que ele subir no pódio, todo mundo vai estar com ele”, disse ela.

“Esse tipo de patriotismo seletivo não faz sentido. Esse ano está sendo muito difícil para o Gabriel, passando por momentos muito complicados na vida pessoal dele. O surfe e um esporte individual, quem compete sabe a importância do psicológico da pessoa nesse momento. Sou uma das únicas pessoas que sabe tudo o que está acontecendo, que ele divide as coisas, que está vivendo tudo. Que apoia, que quando ele está chorando está ao lado dele”, ressaltou.

“Ele é extremamente profissional. Isso não é uma brincadeira. Ele não quer me levar para passear pelo Japão. Somos conscientes e preocupados. Não é brincadeira para mim e nem para ele. A gente só queria os mesmos direitos para todos”, finalizou Yasmin.

Comentários