FAMOSOS

Filhas de Gugu fazem ensaio de Natal só com a mãe após briga por herança com o irmão

Marina e Sofia Liberato se desentenderam com João Augusto por conta de herança

Gêmeas ficaram à favor da mãe durante processo de reconhecimento da união estável do pai - Reprodução / Instagram
Gêmeas ficaram à favor da mãe durante processo de reconhecimento da união estável do pai - Reprodução / Instagram

Redação Publicado em 16/11/2021, às 08h51

Filhas de Gugu Liberato, as gêmeas Sofia e Marina Liberato realizaram um ensaio de Natal ao lado da mãe, Rose Miriam, sem a presença do irmão, João Augusto, após briga por conta da herança deixada pelo pai. 

No Instagram, as irmãs mostraram o ensaio realizado com a mãe em um parque de Miami, nos Estados Unidos, onde moram. Os registros, no entanto, foram feitos sem João Augusto, após a briga pela herança. 

Os três se desentenderam após Sofia e Marina se manifestarem à favor da mãe no processo de reconhecimento de união estável, enquanto João e a tia, Aparecida Liberato, ficaram contra, já que Aparecida é nomeada a inventariante da herança do apresentador, que morreu em novembro de 2019. João celebrou o aniversário de Rose, recentemente, ao lado da namorada, em Miami, sem a presença das irmãs, que entraram com uma ação pedindo pensão alimentícia avaliado em cerca de R$ 102,8 mil, negado pela Justiça. 

João chegou a afirmar, em julho, que as irmãs estavam sendo manipuladas no inventário do pai, alegando que a emancipação das jovens foi "duvidosa". Já a defesa das duas, a mesma de Rose Miriam, apontou dizendo que a "manipulação" estava ocorrendo do lado de João, destacando, também, a "falta de amadurecimento do rapaz", atualmente com 20 anos. 

O racha na família Liberato foi escancarado depois que um vídeo das gêmeas viralizou.  Nele, as duas dão um depoimento à Justiça contra a tia, Aparecida Liberato, inventariante de João Augusto. É ela quem controla os valores mensais que elas recebem como mesada; as duas afirmam que recebem menos que o irmão e a avó, Maria do Céu Liberato.

Comentários