Cenapop
CINEMA

Documentário sobre Hector Babenco conquista prêmio no Festival Internacional de Mumbai

Documentário sobre Hector Babenco conquista prêmio no Festival Internacional de Mumbai
Documentário sobre Hector Babenco conquista prêmio no Festival Internacional de Mumbai - Foto: Reprodução

Redação Publicado em 05/02/2020, às 08h00 - Atualizado às 18h30

BABENCO – Alguém tem que ouvir o coração e dizer: Parou, documentário de Bárbara Paz, acaba de conquistar mais um prêmio no Festival Internacional de Cinema de Mumbai, na Índia.

O longa foi premiado como Melhor Documentário. O festival é o mais importante na indústria mundial do cinema indiano. O cônsul do Brasil em Mumbai Guilherme Patriota foi receber o prêmio pelo filme. O longa chega aos cinemas do Brasil 09 de abril.

O documentário traça um paralelo entre a arte e a doença de Babenco. O filme revela medos e ansiedades, mas também memórias, reflexões e fabulações, num confronto entre vigor intelectual e a fragilidade física que marcou sua vida.

BABENCO – Alguém tem que ouvir o coração e dizer: Parou estreou mundialmente no Festival de Veneza, aonde conquistou o Leão de Ouro, e teve sua primeira exibição no Brasil na 43ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo, sendo um dos cinco selecionados para a exibição especial no Theatro Municipal de São Paulo.

O longa também foi exibido no Festival de Mar Del Plata (Argentina), no Festival do Cairo, no Festival Maranhão na Tela, no Fest Aruanda, no Festival de Havana, no Festival do Rio e no Festival de Tiradentes. O documentário é uma produção HB Filmes e produzido por Bárbara Paz. A coprodução é da Gullane, Ava Filmes, Lusco Fusco, Globo Filmes, GloboNews e Canal Brasil. A distribuição no Brasil é da Imovision.

Veja o trailer:

LEIA MAIS

Veja a crítica de Aves de Rapina, filme solo da Arlequina
Péricles se derrete pela filha caçula: “Não vou largar a sua mão nunca”
Lucy Boynton interpretará Marianne Faithfull na cinebiografia da cantora
Conheça os filmes estrangeiros que fizeram sucesso no Oscar
Filha de Asa Branca lamenta morte do pai: “Queria mais tempo”

Comentários