FAMOSOS

Mulher trans, Léo Áquila detalha consulta com urologista: “Nunca ri tanto com um médico”

Jornalista não passou pela cirurgia de mudança de sexo

Léo Áquila detalhou visita ao urologista em vídeo
Léo Áquila detalhou visita ao urologista em vídeo - Foto: Reprodução/ Instagram@leonoraaquillaoficial

Redação Publicado em 08/06/2021, às 05h26

Mulher trans, Léo Áquila divertiu seus seguidores ao contar, nos mínimos detalhes, como foi sua consulta com o urologista. 

No Youtube, a jornalista ― que não se submeteu à cirurgia de mudança de sexo ― contou que estava receosa com o tratamento no consultório, mas que a consulta acabou sendo a “melhor de sua vida”.

“O médico saiu da sala e deu uma olhada antes, porque chamava os pacientes pelo nome. Ele era bem velhinho e eu pensando: ‘ai meu Deus, como é que eu vou mostrar minha neca pra esse médico?’ Consulta de rotina... E aí a recepcionista me perguntou que nome eu gostaria que chamasse. E eu respondi que o meu, Leonora. E aí ela me disse: ‘Aqui no sistema ainda está Jadson, viu?’. E eu disse que já tinha trocado tudo, todos os bancos, identidade, habilitação, tudo, só o plano de saúde que ainda não tinha conseguido. E ela me disse pra correr atrás disso, mas pra eu ficar tranquila que ela iria avisar ao médico”, começou ela.

“Quando eu vi o senhorzinho na porta eu pensei: ‘esse médico vai fazer uma cagada’. O consultório cheio e eu bem feminina e bem tranquila esperando. Daqui a pouco ele abre a porta: ‘Jadson Mendes’ (risos). Eu só olhei pra menina da recepção e ela ficou bege. Levantei, respirei fundo e pensei: ‘eu explico pra ele lá dentro, ele é um senhorzinho e vai entender’. E entrei”, continuou.

“Ele olhou pra mim, me viu toda menininha assim e falou: ‘pois não, Jadson, o que você tem?’ Eu falei: ‘Doutor, então, o senhor pode me chamar de Leonora? Caso o senhor não tenha percebido, eu sou uma mulher transexual’. E ele me disse: ‘não, eu tenho que chamar pelo nome que está no sistema, você está em um urologista, mulher não vai em urologista’. Comecei a ferver por dentro e falei: ‘Doutor, o senhor pode, por favor, me chamar de Leonora e respeitar minha identidade de gênero? Não sou mais um menino. Agora sou uma mulher trans’. Respirei fundo pra tentar mostrar pra ele que o mundo mudou. Ele era formado desde 1960”, explicou.

A consulta, no entanto, acabou sendo muito boa, de acordo com a própria Léo Áquila.

“Mas gente, como é bom você desarmar, ser humilde e engolir alguns sapos na intenção de informar. Porque posso dizer uma coisa? Foi a melhor consulta da minha vida. Eu nunca ri tanto com um médico como eu ri com esse. Quando ele percebeu o que era, ele começou a me tratar no feminino. E então eu fui explicar que era uma consulta de rotina, porque biologicamente eu sou um menino, então ele precisava dar uma olhada para ver como é que está”, disse.

 

 

Comentários