Cenapop
FAMOSOS

Gabriela Pugliesi teria perdido 17 patrocínios e parcerias por conta de festa polêmica

Gabriela Pugliesi já perdeu 17 contratos ou parcerias por conta de polêmica
Gabriela Pugliesi já perdeu 17 contratos ou parcerias por conta de polêmica - Reprodução/Instagram

Redação Publicado em 28/04/2020, às 10h43

A festa dada no último final de semana por Gabriela Pugliesi, em plena pandemia de coronavírus e forte apelo da OMS (Organização Mundial da Saúde) para que todos fiquem em casa, continua rendendo desdobramentos.

Mesmo após assumir que errou e publicar um pedido de desculpas em sua página no Instagram [que foi recentemente desativada], a influenciadora acabou perdendo muitos contratos e parcerias com marcas famosas, incluindo Desinchá, Evolution Coffee, Hope, LBA, Mais Pura, Rappi, Liv Up e Baw, entre outras.

Na última segunda-feira (27/04), o CENAPOP mostrou alguns dos comunicados de término de parceria e contrato. O perfil do twitter Menina das Thread apurou que mais empresas se manifestaram sobre o assunto e reuniu todos os informativos.

Veja abaixo.

Pedido de desculpas no Instagram

 

No dia seguinte à festa, Pugliesi apareceu em seu Instagram para pedir desculpas ao público que se sentiu ofendido pelas suas atitudes em meio a uma grave pandemia.

"Estou extremamente arrependida, estou mal comigo mesma, fui irresponsável, imatura, e mais uma vez quero pedir desculpas. Errei porque não é para juntar gente em casa, porque tem gente passando dificuldade, porque é ofensivo, não ajuda ninguém nesse momento", declarou.

Ela continuou: "A quarentena está difícil para mim, mas sei que está muito mais difícil para outras pessoas. E eu que me proponho sempre a falar sobre como a vida pode ser maravilhosa, tenho que ter responsabilidade sobre o que eu falo, sobre o que eu faço, sobre o que eu posto. Então, queria pedir desculpas do fundo do meu coração", finalizou.

A atitude da influencer surpreendeu por ela ter sido uma das primeiras celebridades brasileiras a se contaminar com o vírus e desenvolver Covid-19.

Comentários