Cenapop
CURIOSIDADES

Garçonete americana é mandada embora após recusar vacina contra a COVID-19

Ela diz que não é anti-vacina, mas justificou a decisão por estar tentando engravidar

Bonnie Jacobson
Bonnie Jacobson - Reprodução/NY Post

Redação Publicado em 18/02/2021, às 08h23

Bonnie Jacobson, uma garçonete de Nova York, afirma ter sido mandada embora de um popular restaurante no qual trabalhava por decidir não tomar a vacina contra a COVID-19.

Em uma entrevista ao jornal NY Post, ela disse que teve medo que a vacina pudesse prejudicar suas chances de engravidar: "Foi chocante para mim. Passei pelos estágios: estou magoada, estou em choque e depois fiquei brava", disse a garçonete, de 34 anos.

Bonnie é casada desde outubro de 2019, e disse não ser anti-vacina e que "apoia totalmente" a imunização, mas quer esperar pesquisas sobre o efeito da vacina na fertilidade.

As vacinas contra o Coronavírus não foram testadas em gestantes, mas também mostraram não afetar a gestação e são vistas como seguras. O Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA afirma que ser facinado é "uma escolha pessoal para pessoas que estão grávidas" e que mulheres grávidas podem consultar seus médicos sobre isso ser ou não adequado a elas.

Comentários