FAMOSOS

Tico Santa Cruz fala sobre crescimento pessoal: "Tomei a decisão de desatar nós"

Músico comentou sobre ter realizado uma mudança interna e afirmou ser intenso

Tico tem mudado seu modo de lutar e defender causas e questões em que acredita após muita terapia - Reprodução/Instagram/@ticostacruz
Tico tem mudado seu modo de lutar e defender causas e questões em que acredita após muita terapia - Reprodução/Instagram/@ticostacruz

Redação Publicado em 02/08/2021, às 08h07

O vocalista e músico Tico Santa Cruz falou sobre como a terapia mudou seu modo de lutar e defender causas e questões em que acredita, além de ter decidido desatar nós que fez durante a vida. 

Escrevendo um livro sobre as retaliações que o grupo Detonautas enfrentou ao se posicionar politicamente, Tico diz que sua personalidade é combativa: "Quanto mais me atacam, mais vou para cima. Isso, de certa forma, foi uma blindagem que criei. Nunca me intimidei. Cresci em um ambiente de conflito, que é um ambiente normal para mim. Trabalho na terapia as brigas que valem a pena brigar. Por minha essência, entraria em todas as brigas, mas na pandemia tive esse crescimento pessoal."

Ele prosseguiu: "Sou uma pessoa antes da pandemia e vou sair completamente diferente dela. Fiz uma mudança interna, tomei a decisão de desatar nós que fiz durante a vida com conflitos mal resolvidos por conta de atitudes imaturas. Sou muito intenso e por várias vezes equalizei de forma errada a minha voz e causei transtorno. Não quero comprar brigas com todos e quando comprar, quero saber a maneira adequada de conduzir o conteúdo. É uma evolução que tive neste tempo de vulnerabilidade que a pandemia me trouxe com tantas mortes e descaso."

O vocalista ainda conta que conhece o termo "cancelamento" desde 2012: "Vivemos uma democracia parcial. Sofremos muitas retaliações por conta dos posicionamentos políticos. Sofro ataques – inclusive no próprio meio artístico – desde 2012. Por causa do gabinete do ódio e dessa dinâmica de se criar fake news, tive inúmeros prejuízos financeiros e mental. As pessoas tinham medo de ter o Detonautas em festivais por causa das letras e do posicionamento combativo. De 2018 para frente, tenho sentido uma diferença."

"Hoje em dia se cobra um posicionamento dos artistas e como a gente já faz isso há anos, temos uma bagagem maior e temos recebido mais apoio. Sinto até que os ataques de ódio pela rede social diminuíram. Cada vez menos as pessoas se propõem a defender esse governo, que é vergonhoso. E os robôs estão direcionando para outras pessoas os ataques de ódio", completou.

Recentemente, ele relembrou a briga com o ator Dudu Pelizzari, protagonizada em 2010 durante sua participação em A Fazenda, em entrevista a Maurício Meirelles no programa Foi Mau, da RedeTV!

Comentários