Cenapop
FAMOSOS

Ex-Malhação, Bruno Gadiol diz que carreira decolou após se declarar gay: “Zerou os problemas”

Bruno na época de Malhação e em foto atual, com o namorado
Bruno na época de Malhação e em foto atual, com o namorado - Foto: Reprodução/ TV Globo e Instagram

Redação Publicado em 27/07/2020, às 07h44

Intérprete de Guto em Malhação - Viva a Diferença, que está sendo reprisada pela TV Globo, Bruno Gadiol contou que sua carreira artística só melhorou após ele se declarar gay.

À coluna de Patrícia Kogut, do jornal O Globo, o artista — que se prepara para lançar o EP autoral Relacionamento Aberto — explicou que nunca namorou garotas e que sabia de sua sexualidade desde criança.

“Naquela época [há dois anos, quando se declarou gay], isso aconteceu após muita autorreflexão. Também tive conversas com meus amigos, com minha família... Eles até podiam ficar temerosos, achar que não era o melhor para mim principalmente no quesito profissional, já que eu estava saindo do meu primeiro trabalho na televisão, mas eu tinha a consciência de que o mais importante era eu estar em paz. Eu já tinha vivido um longo período da minha vida com um aperto no peito”, começou ele.

“Nunca namorei garotas. Meu primeiro beijo foi aos 16 anos, num menino. Em meninas, meu primeiro beijo foi no teatro, aos 18. Desde criança me entendi gay. Então, quando adulto, optei por não ser infiel a mim. Claro que eu tive a preocupação que alguns atores e galãs têm de não conseguir trabalho. Compreendo o fato de muitos da TV não se assumirem. No entanto, eu não queria passar por isso. Hoje em dia percebo que foi a melhor coisa que fiz: me aproximou do meu público e me fez reduzir os problemas a zero”, garantiu.

À publicação, Bruno, que namora o estudante Murilo Pinto há um ano, revelou que passou por situações complicadas, e que pensa em documentar sua história para ajudar outras pessoas sobre sexualidade.

“Penso em escrever um livro sobre este processo que vivi, sobre a ansiedade que me dava essa expectativa pela aceitação... Percebo que muitas pessoas passam por coisas parecidas, nem sempre em relação à sexualidade. Então, quero ajudá-las a iluminar os pensamentos. Talvez venha um livro associado a algum trabalho na música. É um plano para o futuro”, completou.

Comentários