Cenapop
FAMOSOS

Manobrista bateu! Caio Castro pagou preço de carro popular usado para consertar retrovisor de Ferrari

Caio Castro teve que desembolsar uma grana após manobrista bater sua Ferrari
Caio Castro teve que desembolsar uma grana após manobrista bater sua Ferrari - Foto: Reprodução/ Instagram

Redação Publicado em 15/10/2020, às 08h28

Caio Castro precisou gastar uma nota para consertar o retrovisor de sua Ferrari 458 Spider – avaliada em R$ 1,5 milhão – após o manobrista do prédio onde mora bater o esportivo em uma pilastra da garagem.

Segundo apurou o CENAPOP, só o conjunto de peças (que inclui espelho eletrocromado, sistema elétrico e posição de memória) – tirando o custo do envio e a mão de obra especializada – custa o mesmo que um carro popular de segunda mão que a gente vê rodando aos montes pelas ruas.

Ao consultar o catálogo da Euro Spares (que vende apenas peças originais e entrega para todo o mundo), descobrimos que o preço sugerido do retrovisor é de £ 1.217, o equivalente a R$ 8.777 – o preço de um Fiesta GLX 1.6 8V 3p ano 2000 ou um Corsa Super 1.0 MPFI 16V 5p ano 2000, de acordo com a tabela FIPE.

Já no catálogo da Scuderia Car Parts, o mesmo conjunto sai por US$ 1.425, o equivalente a R$ 7.975. Com a grana, daria para você adquirir um Uno Mille/ Mille EX/ Smart 4p 1999 ou ainda um 206 Soleil 1.6 3p 2001, também de acordo com a tabela FIPE.

Custo do retrovisor da Ferrari de Caio Castro dá para comprar um carro popular usado - Foto: Reprodução

 

Custo do retrovisor da Ferrari de Caio Castro dá para comprar um carro popular usado - Foto: Reprodução

 

Amante da velocidade e de carros esportivos, o ator falou sobre o acidente durante sua participação no programa The Noite, comandado por Danilo Gentili:

“Meu apartamento em São Paulo tem garagem com manobrista, né? Teve um dia que eu cheguei: ‘Ô, beleza! Boa noite! Como vai?’. Eu subi... Deu quatro minutos e o interfone tocou. Aí falei: ‘Ué...Beleza, acho que trouxe comigo a chave... Alô?’. E o rapaz chorando: ‘Ô, Seu Caio. Eu bati seu carro’. Eu achei estranho... Não entendi. Ele estava muito desesperado mesmo. Muito nervoso. (Perguntei) ‘Bateu como?’ Aí ele disse: ‘Não, não. Bateu aqui. O Senhor pode descer?’”, lembrou ele.

Na atração, Caio evitou falar de valores e eximiu o manobrista de culpa: “Bota aí um preço alto mais a importação de um produto (risos). É a falta de costume. Ele não teve culpa”, disse o galã.

 

Comentários