FAMOSOS

Ana Maria Braga lamenta morte do jornalista e escritor, Artur Xexéo: "Uma mente brilhante"

Jornalista morreu aos 69 anos, após lutar contra um linfoma durante duas semanas

Apresentadora lamentou a perda nas redes sociais - Reprodução/TV Globo
Apresentadora lamentou a perda nas redes sociais - Reprodução/TV Globo

Redação Publicado em 28/06/2021, às 10h59

A apresentadora Ana Maria Braga lamentou a morte do jornalista, Artur Xexéo, nas redes sociais, e citou o marido do escritor, Paulo Severo, com quem esteve casado durante trinta anos. 

Na publicação compartilhada em seu Instagram, Ana posa ao lado de Artur, durante uma participação no "Mais Você": "Que triste! Tivemos mais uma grande perda na noite de ontem. Arthur Xexéu nos deixou depois de uma luta de duas semanas contra um linfoma."

"Meus sentimentos a família, principalmente ao seu companheiro de 30 anos de casamento Paulo e ao Brasil que perde uma mente brilhante. Descanse em paz, meu querido", escreveu ela. 

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Ana Maria Braga (@anamaria16)

 

O escritor estava batalhando há duas semanas contra um linfoma, após ter sido diagnosticado recentemente, ainda neste mês. A TV Globo confirmou que ele morreu em decorrência das complicações do câncer. Comentarista da GloboNews e colunista do jornal O Globo, Artur cursou Engenharia, trocando o curso por Comunicação Social. Ele iniciou a carreira de jornalista no Jornal do Brasil, trabalhando em redações de jornais do Rio de Janeiro, além da revista Veja e a rádio CBN. Na TV, ele participou das equipes de séries como "Pé na Cova" e "Sexo e as Negas do Brasil a Bordo". Artur também é autor de livros como "Janete Clair - A Usineira dos Sonhos" e "O Torcedor Ancidental".

Ele ainda escreveu musicais como "A Garota do Biquíni Vermelho" (2010), dirigido por Marília Pêra, sobre a vida da atriz Sônia Mamede e "Nós Sempre Teremos Paris" (2012), que foi dirigido por Jaqueline Laurance e estrelado por Françoise Forton. Artur também homenageou um dos maiores ícones do samba com o musical "Cartola - O Mundo é um Moinho". Sua última obra no teatro foi "A Cor Púrpura", em 2019, adaptação do espetáculo americano. 

Comentários