Cenapop
FAMOSOS

Zezé Di Camargo diz que vai diminuir ritmo após 30 anos de carreira: “Estou namorando mais”

Dupla com Luciano completa 30 anos

Zezé Di Camargo e Luciano falaram sobre os 30 anos de carreira
Zezé Di Camargo e Luciano falaram sobre os 30 anos de carreira - Foto: Reprodução/ Instagram@thais_carvalhoo

Redação Publicado em 20/04/2021, às 06h50

Completando 30 anos de dupla com o irmão Luciano, Zezé Di Camargo contou que pretende “diminuir o ritmo” para conseguir “curtir a família” e “namorar mais”.

Noivo da jornalista e influenciadora Graciele Lacerda, o sertanejo contou que a parada obrigatória (por conta da pandemia) o fez enxergar a vida com outros olhos.

“Pra mim, essa parada (durante a pandemia) fez um bem danado. Descansei a minha voz, estou cantando como há 20 anos, gravando músicas inéditas no meu tempo, do jeito que eu quero, vivendo próximo das pessoas que eu amo, namorando muito mais. De repente, comecei a enxergar que a vida é muito simples, muito fácil, a gente é que complica. Vou reduzir minha carga de trabalho, mas não pararei de cantar. Pra mim, é essencial, é a lavagem da alma. Estar no palco e cantar é um orgasmo que dura duas horas”, disse ele, ao jornal Extra.

Luciano também contou que tem vontade de continuar cantando: “Com 30 anos de carreira, não viso mais prêmios, visibilidade. O que restou em mim foi o que mais importa: a vontade de continuar cantando”, explicou ele.

À publicação, a dupla falou sobre os prós e contras do sucesso e da fama.

“Pudemos tirar a família de uma situação financeira muito ruim e dar conforto aos nossos pais e filhos. Ajudamos milhões de pessoas: temos uma ala no hospital do câncer de Barretos, já fizemos vários shows beneficentes. Tivemos a alegria de ser homenageados em vida no carnaval do Rio. Temos um filme contando a nossa vida. Ganhamos quatro Grammy Latinos; vendemos 48 milhões de discos; somamos mais de cem hits. Somos reconhecidos aonde quer que a gente vá, independentemente de gostarem ou não da nossa música. A falta de privacidade, por outro lado, é o ônus. O que me deixa mais triste é quando publicam uma inverdade sobre mim”, disse Zezé.

“Só um fato foi muito triste para toda a família, decorrente do sucesso da dupla: o sequestro do meu irmão Wellington, em 1998/1999. Tirando isso, nada me deixou triste ou incomodado. Foram só glórias. Se eu parasse hoje, encerraria realizado”, confessou Luciano.

Assíduo nas redes sociais, Zezé revelou que se arrepende da maneira como tratava seus seguidores assim que começou a usar a plataforma:

“Me arrependo do jeito com que eu lidava com meus seguidores assim que comecei a usar o Instagram. Todo mundo que eu encontrava pessoalmente, me elogiava, me dava tapinha nas costas, pedia foto junto. Na rede social, eu me assustei. Não imaginava que eu era tão odiado, que tinha tanta gente que não gostava de mim. Inocentemente, acreditei que o ‘bateu-levou’ era o melhor caminho, que eu tinha que ser transparente, e sofri muito. Hoje, não discuto mais, só bloqueio. Se me ofende, não é fã, não vai me fazer falta”, ponderou.

Já Luciano, contou que se arrependeu de ter falado que gostaria de acabar com a dupla com Zezé após uma “briga besta”:

“O dia (27 de outubro de 2011) em que eu falei a grande besteira que queria me separar do meu irmão, por uma briga boba. Ô, vergonha que eu tenho daquilo (gargalhadas)! Eu não tenho memória de nada daquela noite, nem sobre o que passou na minha cabeça nem à minha volta. Me contaram que foi divulgado até no Plantão da Globo. As pessoas devem ter levado um susto e me mandado praquele lugar! (risos). Esse arrependimento eu carrego comigo”, completou.

Comentários