FAMOSOS

Sebastian, garoto-propaganda dos anos 90, fala sobre sucesso: "Era uma loucura"

Sebastian foi garoto-propaganda da marca C&A durante 20 anos

Sebastião Fonseca comentou sobre seu casamento e os dois filhos que tem com Ivone Nogueira - Reprodução / Youtube
Sebastião Fonseca comentou sobre seu casamento e os dois filhos que tem com Ivone Nogueira - Reprodução / Youtube

Redação Publicado em 21/10/2021, às 10h03

Sebastião Fonseca, 55 anos, conhecido como Sebastian, garoto-propaganda dos anos 90, comentou sobre sucesso na época, além de contar sobre casamento de 30 anos com Ivone Nogueira

Em entrevista à coluna de Patrícia Kogut, Sebastian falou sobre o teste para um comercial, quando criou o personagem. Durante 20 anos, ele trabalhou como garoto-propaganda para a marca C&A: "Era uma loucura. As pessoas se manifestavam muito amáveis. Eu sempre fiz questão de atender com muito humor e atenção, afinal eu entrava na casa delas o tempo todo sem pedir licenças."

"Naquela época, havia um cartão de crédito com uma foto minha. Eu andava pelas ruas e as pessoas nos carros colocavam os braços para fora para me mostrar que tinham aquele cartão", relembrou ele, que atualmente está se preparando para fazer comercial para a marca concorrente. Na época, não se discutia sobre representatividade na televisão, no entanto, Sebastian afirma que nunca se preocupou em ser vítima de racismo. 

" Eu acho que o racismo é um problema do racista e que ele tem de resolver. Se teve algo comigo, não prestei atenção, porque tudo o que eu olho cresce. Ao longo da minha carreira, quebrei alguns paradigmas. Quando eu comecei, as únicas pessoas negras que tinham presença cativa na televisão eram o Mussum e o Grande Otelo. Eu fui o primeiro negro a estar à frente de uma campanha em rede nacional."

"Eu sou um negro em movimento. Ninguém fora de mim pode determinar quem eu sou e o local em que eu deva estar. Eu creio muito no trabalho e na meritocracia", afirma. Casado há 30 anos com Ivone, com quem tem Rudah, de 28 anos e Jaadi, de 26 anos, ele explicou sobre o trabalho social que mantém há 17 anos com a esposa. "Eu acredito que a arte forma o caráter das pessoas e, por isso, montamos esse espaço, onde fazemos a inclusão para crianças e adolescentes dos setores mais fragilizados da sociedade por meio da arte."

"Além disso, sou embaixador do Instituto Recomeçar, voltado a reintegração social de egressos do sistema penitenciário, e também estou envolvido com causas sociais", completou.

Comentários