FAMOSOS

Samara Felippo desabafa sobre caso de racismo com caçula na escola: "Me deu taquicardia"

Samara Felippo contou que filha de 8 anos, Laura, foi chamada de "negrinha chata"

Atriz revela que Laura contou sobre o episódio uma semana após o ocorrido - Reprodução/Instagram/@sfelippo
Atriz revela que Laura contou sobre o episódio uma semana após o ocorrido - Reprodução/Instagram/@sfelippo

Redação Publicado em 14/09/2021, às 10h18

Samara Felippo desabafou, durante uma live no Instagram, sobre o caso de racismo que a filha caçula de 8 anos, Laura, sofreu na escola após ser xingada por um colega. 

A atriz revelou que Laura contou sobre o episódio apenas na semana seguinte: "A Lara veio me relatando que um amiguinho dela chamou ela de negrinha chata: “ah, sua negrinha chata”. Só que ela veio me contar isso, sei lá, uma semana depois do ocorrido. E aí, me deu uma taquicardia momentânea e eu falei: "filha, está tudo bem? Como é que você recebeu isso? Você precisa falar para a professora na hora"."

Ela prosseguiu: "Porque o menino branco lá que falou não pode repetir isso. Ele tem que aprender que isso é crime. Eu falei: "fala para ele que se ele não pagar, os pais dele vão pagar. Eu mandei um e-mail para a escola e falei: "Aconteceu isso, isso e isso e eu quero saber se vocês vão falar com os pais"."

"Eu estava até discutindo isso com o meu companheiro: "Como é que a gente vai começar a ter uma resposta positiva da sociedade se esse menino branco chega na escola, que se diz inclusiva, antirracista, mas em casa os pais são imbecis, e ele vai repetir os que os pais estão falando"."

"E crianças como a minha filha e tantas crianças pretas que deixam de ir para a escola e são feridas na primeira infância, atravessadas pelo racismo". Samara afirmou ter se irritado com a situação. "E ela é forte sabe. Eu falei: "Você está bem meu amor, está tudo bem? Você se ofendeu, se humilhou? Ela respondeu: "Não, mamãe, eu só fiquei com vergonha de falar na hora"."

"Eu disse: "mas tem que falar na hora, não só para esse corpo docente saber, ter capacidade de lidar com a situação racista, como para esse menino aprender também". A atriz ainda qual atitude a escola tomou após o caso: "A escola chamou o menino e os pais juntos para conversar com eles. Foi o e-mail que eu recebi", completou. 

Comentários