Cenapop
FAMOSOS

Luisa Mell aciona polícia após goleiro Bruno posar com cães com a orelha cortada

Luisa Mell recorreu a delegado de polícia após goleiro Bruno posar com cães com as orelhas cortadas
Luisa Mell recorreu a delegado de polícia após goleiro Bruno posar com cães com as orelhas cortadas - Foto: Reprodução/ Instagram

Redação Publicado em 25/06/2020, às 15h49

Uma sessão de fotos feita pelo goleiro Bruno Fernandes em um canil da região dos Lagos, no Rio de Janeiro, está causando o maior burburinho e gerando muita reclamação nas redes sociais.

Defensora dos animais, Luisa Mell criticou a publicação feita pelo atleta no Instagram (as imagens são de uma publicidade) e contou que já entrou em contato com a polícia, já que os cães que aparecem na foto estão com as orelhas cortadas, prática proibida que é considerada maus tratos há mais de 10 anos.

“Cortar orelhas é crime! Me aguardem. Cortar orelha de cachorro está proibido desde 2008. Mutilar animais sem recomendação veterinária que seja para tratar o animal é crime ambiental e qualquer pessoa que o faça está sujeita às penalidades previstas em lei”, reclamou ela, informando que já havia entrado em contato com a polícia; “Vamos atrás de vocês”, garantiu ela.

Cumprindo prisão em regime semiaberto desde 2019, após ser condenado pelo assassinato e a ocultação do corpo de Eliza Samudio, Bruno teria jogado o corpo da ex-companheira aos cachorros de seu sítio.

A campanha publicitária, diante dos acontecimentos do crime, provocaram a ira de outros famosos nas redes sociais.

A novelista Glória Perez, por exemplo, contou que a propagando do canil com o goleiro Bruno “é um deboche!”.

A atriz Alexia Dechamps compartilhou uma postagem do canil, e iniciou uma campanha com seus seguidores para tirar a página do ar.

“Postar essa foto [do goleiro Bruno com os cães] Canil Friends Bull é um desrespeito com a família da mulher que ele ceifou a vida. Cortar orelha dos animais é crime. Denuciem a conta @friendsbullkennel”, pediu a atriz, marcando o perito ambiental Randel Silva na publicação.

 

 

Comentários