FAMOSOS

Inês Brasil comemora sucesso de sua música que voltou às paradas

Inês Brasil cogitou voltar para a prostituição por dificuldades durante a pandemia

Inês Brasil cogitou voltar para a prostituição por dificuldades durante a pandemia - Foto: Reprodução / Instagram @inesbrasiltv
Inês Brasil cogitou voltar para a prostituição por dificuldades durante a pandemia - Foto: Reprodução / Instagram @inesbrasiltv

Redação Publicado em 16/09/2021, às 09h47

A música "Undererê", de 2016, da cantora e celebridade Inês Brasil, voltou ao topo das paradas na plataforma de música "Spotify" graças aos usuários do "TikTok". Na rede social, existem mais de 116 milhões de visualizações em diferentes vídeos gravados pelos usuários. Celebridades como Pocah, João Neto e Cristiano, e Ferrugem também gravaram alguns vídeos e compartilharam para seus seguidores.

"Eu já sou famosa há dez anos. Você não me conhecia?" brincou a cantora. "Estou acostumada a ter muita gente me apoiando e os famosos comigo sempre. Graças a Deus. Tem quem chegou agora e acha que eu sou dessa geração TikTok, mas não. Sou a Inês Brasil, ex-prostituta que vivia na Alemanha, vim ao Brasil, virei cantora, fui na Luciana Gimenez... E é como Jesus disse, “faça por onde que eu ajudarei”, disse Inês em uma conversa com o site "Extra".

O ciúme é citado várias vezes na música e, segundo a artista, esse sentimento ainda está muito presente na vida da artista, que está solteira. "Sou muito ciumenta. Mas não namoro porque sou piranha. Tenho meus ficantes. Pode acontecer de ficar com um homem só um dia, como já tive, mas está difícil", explicou.

"Por conta desse coronavírus, o trabalho ficou difícil para todo mundo. Pensei que teria que voltar para a prostituição. Meus vizinhos, Seu Hugo e Fernando da Kombi, e minhas filhas me ajudaram com o pão de cada dia. E minha caçula está me ajudando com o TikTok. Já batemos 1 milhão de seguidores. Agora, vem aí o "OnlyFans". E não vou parar de cantar", disse a artista, explicando suas dificuldades financeiras durante a pandemia do novo coronavírus.

Comentários