FAMOSOS

Cybelle Herminio, viúva de Tom Veiga, diz ter sido vítima de agressão do pai, patroa e ex-namorado

Viúva do intérprete de Louro José também alegou ser vítima de agressão de patroa e de namorado

Antes de sua morte, Tom acusou Cybelle de ter sido agredido em setembro de 2020 - Foto/Reprodução/Record TV
Antes de sua morte, Tom acusou Cybelle de ter sido agredido em setembro de 2020 - Foto/Reprodução/Record TV

Redação Publicado em 15/04/2021, às 07h29

Cybelle Herminio, viúva de Tom Veiga, antes de se casar com o intérprete do Louro José, já havia se envolvido em três brigas e chegou a registrar ocorrência alegando ter sido vítima de agressão do pai, da patroa e namorado. 

Segundo o Jornal Extra, que acessou os B.Os registrados por Cybelle nas unidades de polícia do Rio de Janeiro, ela relatou, em 6 de fevereiro de 2009, que havia sido agredida pelo pai, Carlos Antônio Rodrigues da Costa, durante uma briga que teve com o seu irmão, Carlos Vinicius Herminio Costa. 

A ocorrência diz: "Conforme a comunicante, ela e o seu irmão discutiram e entraram em vias de fato, e que o seu pai, ao apartar a briga, desferiu um soco no rosto da comunicante e deu-lhe uma chave de braço, machucando-a; que em relação da briga com o seu irmão, a comunicante declara que, de fato, o arranhou; que deseja representar contra o seu pai pela agressão sofrida, pois não é a primeira vez que tal fato ocorre."

Já no dia 13 de dezembro de 2012, ela registrou uma outra queixa de agressão após uma briga, afirmando que Deborah Amaral Monteiro Lopes segurou-a 'utilizando força excessiva' durante discussão de trabalho. Cybelle era gerente na empresa de moda feminina de Deborah, que era dona. No depoimento ainda diz que a patroa não havia gostado de ter recebido um email de Cybelle questionando assuntos referentes ao trabalho. 

Quando Deborah chegou no estabelecimento, em Copacabana, mandou encontrá-la do lado de fora, enquanto ela estava no telefone. Cybelle ainda relata que a patroa 'continuava gritando e insistindo que não queria mais receber emails das gerentes da loja'. A viúva, então, decidiu gravar a conversa para poder se defender futuramente. Ela afirma ter sido segurada com força pela chefe, que puxou o celular de sua mão, quando ela decidiu revidar.  Cybelle foi demitida e moveu um processo pedindo cerca de R$ 450 mil por danos morais, perdendo a ação duas vezes.

Já o terceiro registro foi realizado por perturbação da tranquilidade e vias de fato contra o ex-namorado Felipe Fabbriani, com quem teve um relacionamento de três anos. O relato do dia 23 de janeiro de 2017, ele chegou em um restaurante em que estava com um amigo e empurrou os dois. Ela alegou que não sofreu agressão física apenas por estar em um local público e seguraram Felipe. A víuva de Tom conseguiu medida protetiva e Felipe segue sendo processado pelo Ministério Público segundo a Lei Maria da Penha.

O Extra procurou Felipe, que afirma não querer se envolver na história de Cybelle e que a briga foi por conta de uma 'traição dela'. Um amigo de Cybelle ainda contou ao Extra que ouviu dela, algumas vezes, que aconteceram diversas discussões intensas durante seu casamento com Tom e que, em algumas delas, ele teria partido para cima dela: "Ela me disse que quando ele bebia demais era comum ficar agressivo, e que algumas vezes quis bater nela. Mas como também é grandona, revidava".

O amigo, que não quis se identificar, também disse não saber por que ela não denunciou Tom, como fez das outras vezes. "Isso não sei dizer mesmo. Talvez tivesse medo da exposição." 

Acusada de agressão

De acordo com o EXTRA, a segunda ex-mulher de Tom, possui fotos do artista coberto de hematomas, arranhões e machucados. Alessandra Veiga disse que o ex a enviou as mensagens no dia 4 de outubro de 2020, quando resolveu desabafar sobre sua outra ex.

Segundo Tom, Cybelle teria o agredido em setembro, o que resultou na separação dos dois. Por causa das notícias envolvendo a herança do artista, Alessandra resolveu quebrar a promessa que fez a Tom, e vazou os áudios.

Já Cybelle negou, em um vídeo ao lado do advogado, as acusações envolvendo seu nome, garantindo que os dois haviam tido apenas uma briga de casal e que nunca haviam se separado oficialmente. O artista chegou a pedir a um amigo, três dias antes de sua morte, que fosse com ele até um cartório para poder realizar uma alteração no testamento, demonstrando interesse em retirar o nome de Cybelle do documento. 

Comentários