FAMOSOS

Caco Ciocler fala sobre redes sociais: "Nos estragando de maneira irreversível"

Ator refletiu sobre produtividade durante a pandemia

Caco também comentou sobre consumo virtual de cultura e o impacto das redes no dia a dia
Caco também comentou sobre consumo virtual de cultura e o impacto das redes no dia a dia - Foto: Reprodução / Instagram @cacociocler

Redação Publicado em 16/06/2021, às 07h54

O ator Caco Ciocler fez uma reflexão sobre o uso das redes sociais e comentou sobre ter experimentado possibilidades virtuais de seguir atuando, além de falar sobre o consumo virtual de cultura. 

Em conversa com a Marie Claire, o estudante de Biologia falou sobre ter trabalhado bastante, não somente em sua área: "Já fiz três semestres da faculdade, estou estudando japonês, fiz cursos, lancei um filme, filmei outro, fiz peça online. O artista tem essa inquietação, não consigo não transformar em expressão o que estou pensando e vivendo. Se não tem teatro, vamos achar um jeito. Nesse sentido, não parei. Não tive nenhum problema com produtividade, mas não me falta saudade."

Caco conta que as redes sociais não têm despertado otimismo e que passou um período afastado: "Comecei a acreditar que as redes estavam nos estragando de uma maneira irreversível. Chego a achar que não tem vantagem nenhuma. Não é um lugar de diálogo, é de ofensas, declarações para destruir o outro. Todos querem lacrar, colocar pontos finais, inclusive eu, não me isento. Quando me envolvo muito emocionalmente, não durmo direito."

Ele prosseguiu: "Agora, por exemplo, estou tentando falar sobre ter discussões mais saudáveis e tenho tido reações odiosas por pregar o antiódio". Filmada em 2014, o ator gravou o filme independente 'AmarAção', sem incentivos ou patrocínio: "O filme é super caseiro e tem uma brincadeira de eu ser eu mesmo, tem cenas na minha casa, mas é roteirizado, é um personagem. Me fascina o desejo de colocar dinheiro do bolso e usar um produto artístico para rever algo que te perturba, querer dizer algo". 

O longa também conta com a participação do diretor, roteirista e produtor do projeto, o francês Eic Belhassem. Caco diz que está 'fisicamente diferente, pensando em outras coisas, com outras ideias, espiritualmente diferente', desde que gravou o filme há sete anos: "É uma volta ao passado. Temos uma relação tranquila, não terminamos magoados, está tudo certo. As pessoas só precisam entender que o que vão ver é um filme."

Caco foi escalado para participar do remake de Pantanal, um dos maiores sucessos da carreira do novelista Benedito Ruy Barbosa, produzido em 1990 pela extinta TV Manchete.

Comentários