“Sendo realista, depois desta peça, não vou fazer outra”, diz Tarcísio Meira sobre futuro no teatro

"Sendo realista, depois desta peça, não vou fazer outra", diz Tarcísio Meira sobre futuro no teatro - Foto: Reprodução / Instagram

“Sendo realista, depois desta peça, não vou fazer outra”, diz Tarcísio Meira sobre futuro no teatro – Foto: Reprodução / Instagram

Em cartaz com a peça O Camareiro, no teatro Faap, Tarcísio Meira se mantém ativo e lúcido aos 85 anos. Em entrevista para a Revista Quem publicada nesta quarta-feira (22/01), o veterano mostrou-se bem realista a respeito de seu futuro como ator.

“Acho que qualquer ator pode se identificar com esse personagem. Nosso trabalho é muito difícil e cansativo, mas também muito prazeroso e enriquecedor. Se é uma coisa que o ator não pensa é em se aposentar e parar de atuar”, declarou.

No entanto, fez ressalva. “Claro que ninguém quer morrer no palco. Esses dias vi um sertanejo que morreu no palco (no caso, trata-se de Juliano Cezar, que morreu durante um show em dezembro). Achei tão triste, espero que não aconteça comigo e nenhum de nós. Mas não penso em me aposentar, parar. Agora, sendo realista, depois desta peça, não vou fazer outra. Estou indo para os 85 anos, estou velhinho. Não acredito que surja um outro personagem que eu possa fazer”, complementou.

Sobre a velhice, aliás, Tarcísio fala sem filtros. “Não tem nada de melhor na velhice, tudo é pior. Envelhecer é uma coisa muito chata. Tem limitações física e intelectuais cada vez maiores. A memória não é mais a mesma. A morte está aí. Qualquer hora ela chega. Que chegue bem. Não penso muito nisso”, disse.

“Me preocupo em ficar bem, cuidar da minha saúde, não saio por aí fazendo loucuras. Faço as minhas consultas, vejo as coisas que estão erradas comigo e procuro corrigi-las, faço academia, minha ginastiquinha… Não faço tanto quanto deveria, mas faço”, confessou.

Depois de uma carreira intensa na televisão, cinema e teatro, Tarcísio contou que não sente tanta falta da rotina intensa. “Não sinto falta de estar sempre ocupado. Sinto que já fiz bastante coisa, muitas boas e outras nem tanto… Tudo foi acontecendo quase como um turbilhão na minha vida. Nem parava muito para pensar, não dava tempo”, afirmou.

“Tive pouco tempo para mim na minha vida. Não sei como é hoje em dia fazer novela, tenho impressão que é mais fácil, mais dividido. Antes era concentrada em muitos poucos atores. Acho que ninguém decorou tanto texto quanto eu”.

 

Rotina na velhice

Tarcísio Meira tem outras ocupações além de seu trabalho nos palcos. “Além de ator, também sou fazendeiro, o que me rende outras preocupações e bem diferentes. São preocupações de pé no chão, graças a Deus. Eu vejo tudo. Tenho gado, agricultura… Tudo tem hora certa e isso é importante porque me traz de volta à realidade das coisas. Não que o que eu faça no teatro e na TV não sejam palpáveis, mas não são tão palpáveis quantos as coisas em que eu procuro abrigo, que me trazem para a realidade”, explicou.

Perguntado se sua relação com a esposa Glória Menezes continua quente, com declarações de amor e mãos dadas, Tarcísio se orgulhou em dizer que sim, e muito.

“Não só continuam como se intensificaram muito. Nós dispomos de mais tempo para nós mesmos. Procuro o tempo todo a minha mulher e ela me procura o tempo todo também. Eu encontro muito de mim na minha mulher como ela deve encontrar muito dela em mim. Nós somos indissolúveis. A pessoa mais importante da minha vida é a minha mulher”, declarou-se.

Sobre como manter uma relação duradoura (seu casamento com Glória já tem mais de meio século), o ator brincou que chegou a pensar em se separar dela – de mentira, claro – para satisfazer aqueles que não acreditam no clichê “felizes para sempre”.

“Não tem muita fórmula. É muito amor. Tivemos a sorte de termos nos encontrado. Acho que se existe uma crise tão forte que justifique a separação, tem que se se separar mesmo. A gente passa por crises, mas há coisas melhores e maiores. Eu nunca fiz esforço para continuar casado com a minha mulher e nem ela. Houve uma época que brinquei que ia me separar só para satisfazer as pessoas. Daí pensava: ‘Depois eu volto'”, riu.

 

Internet

Apesar da idade, Tarcísio disse que gosta de usar a internet para se inteirar das notícias do dia. Mas só: ele não mantém nenhuma rede social e não acha muito legal os atores que se tornam influenciadores digitais.

“Eu gosto da internet e procuro estar por dentro das coisas, mas não participo de nenhuma rede social. Acho que as pessoas talvez frequentem as redes sociais por um sentimento de solidão, que eu não tenho, felizmente. Também não quero me expor a nada desagradável a essa altura da minha vida. Há pessoas muito carinhosas, mas também algumas que não são tão agradáveis”, comentou.

Sobre os “influencers”, Tarcísio disse: “Não gosto muito da ideia de um ator influenciador. Ele tem que influenciar com o personagem, mas não como ator. Não acho que seja bom. Meu trabalho é ser ator, encontrar bons personagens e fazer esse personagem de forma tão convincente que faça o público ser convencido. Se eu compreendo bem o personagem, vou mostrá-lo bem”, ponderou.

Comentários