Após recorde, Netflix e Porta dos Fundos fecham novo especial de Natal para 2020

Polêmico, especial de Natal do Porta dos Fundos é a produção brasileira mais assistida do Netflix - Foto: Divulgação/ Netflix

Polêmico, especial de Natal do Porta dos Fundos é a produção brasileira mais assistida do Netflix – Foto: Divulgação/ Netflix

Uma das atrações mais polêmicas do catálogo do Netflix, A Primeira Tentação de Cristo, especial de Natal do Porta dos Fundos, é a produção brasileira mais vista da história da plataforma.

Apesar de o serviço não divulgar dados de audiência, uma fonte contou ao jornal O Globo que a história – condenada por bispos, políticos e religiosos – foi a que teve o melhor desempenho dentre as atrações nacionais.

O sucesso foi tamanho, que a Netflix e o Porta dos Fundos já até fecharam um acordo para a produção de um novo especial de Natal para o próximo ano. Vem mais polêmica por ai.

Bispo pediu para fiéis cancelarem Netflix

Atual bispo da Diocese de Palmares, em Pernambuco, Dom Henrique Soares da Costa iniciou uma campanha em seu Facebook que incentiva os fiéis a cancelarem suas assinaturas da Netflix.

O estopim para o pedido foi o polêmico especial de Natal do grupo Porta dos Fundos. Na atração, Jesus (Gregório Duvivier) está prestes a completar 30 anos, e é surpreendido com uma festa de aniversário quando voltava do deserto acompanhado do namorado, Orlando (Fábio Porchat).
A história foi duramente criticada pelo religioso no Facebook:

“Então, como Bispo da Igreja, eu exorto vivamente aos cristãos: neste Natal, proclame seu amor, sua fé, seu respeito em relação a Nosso Senhor Jesus Cristo; mostre que seu amor por Ele é real e ativo: cancele a assinatura da Netflix e lá, no menu apropriado, explique o motivo: ‘desrespeito por Jesus Cristo’, ‘desrespeito pelo cristianismo’, etc. Se você realmente crê e ama ao Senhor, não há outra atitude a tomar…”, escreveu.

Abaixo-assinado já tem 1,9 milhão de assinaturas

Além da reclamação pública feita pelo religioso, a obra foi alvo de um abaixo-assinado criado no Change.org por “ofender os cristãos”.

Endereçado à Netflix, ao grupo Porta dos Fundos, à Câmara dos Deputados e ao Senado Federal, a petição já conta com mais de 1,9 milhão de assinaturas. A meta é chegar a três milhões.

Liberdade artística

Procurado para se manifestar sobre o assunto, o Porta dos Fundos, por meio de sua assessoria, disse que “valoriza a liberdade artística e faz humor e sátira sobre os mais diversos temas culturais e da nossa sociedade”.

A Netflix afirmou que não irá fazer qualquer pronunciamento sobre o caso, e ressaltou que “valoriza a liberdade de expressão artística”, e lembrou que a parceria com o Porta dos Fundos foi vencedora do Emmy Internacional de Melhor Comédia em 2018.

Entenda a polêmica envolvendo o novo especial do Porta e porque toda a repercussão negativa acabou causando o chamado Efeito Streisand – quando o boicote acaba favorecendo o marketing. Assista:

Comentários