Homem que estuprou Demi Moore na adolescência tem identidade revelada

Demi Moore em 1990, em cena de Ghost - Do Outro Lado da Vida, e em foto atual - Foto: Reprodução

Demi Moore em 1990, em cena de Ghost – Do Outro Lado da Vida, e em foto atual – Foto: Reprodução

No lançamento de sua autobiografia, que aconteceu em setembro, Demi Moore revelou ao mundo que foi estuprada por um homem aos 15 anos de idade.

A situação aconteceu com a permissão de sua mãe, que recebeu 500 dólares pela atitude.

Nesta semana, mais detalhes do caso vieram à tona. Em seu livro, onde revelou várias situações de sua vida, Moore afirma que o sujeito que a estuprou era o dono de um restaurante chamado Val. No entanto, uma investigação feita pelos repórteres do jornal The Sun mostra que, na realidade, o homem se chama Basil Doumas, proprietário do La Cage Aux Folles, casa que se tornou um ponto de encontro de celebridades dos anos 70, como Elton John, Sylvester Stallone e Michelle Pfeiffer.

E foi nos anos 70 que Ginny King, mãe de Demi Moore, conheceu Basil, que posteriormente foi apresentado a Demi. Nascido na Grécia, o empresário morreu em 1997, aos 68 anos.

 

Basil comandava o negócio junto com o empresário George Germanides, e os dois tinham sociedade em mais um empreendimento: o restaurante Mirabelle. Foi a esse estabelecimento que Demi fez referência em seu livro. Nas páginas da biografia, a atriz conta que “Val” aparecia em sua escola para vê-la, e um dia, quando ela chegou, o encontrou em sua casa. Foi quando houve o estupro.

Segundo a própria atriz relatou em sua obra, ela não contou nada sobre o ataque que sofreu porque achou que “merecia”. Na semana seguinte, “Val” disse a ela: “Como se sente ao ser vendida pela sua mãe por 500 dólares?”.

Demi não sabe dizer se era verdade ou se era apenas uma provocação. Entretanto, acha inteiramente possível ela ter recebido a quantia para permitir o estupro da filha.

George Germanides, sócio de Basil, ainda está vivo e comentou as acusações de Demi Moore. “Eu não fazia ideia. Se [isso] é verdade, é uma história triste”, afirmou.

Comentários