FAMOSOS

Quentin Tarantino é processado pela Miramax ao anunciar vendas de NFTs de "Pulp Fiction"

Quentin Tarantino anunciou a venda de NFTs de seu filme na última semana

Cineasta anunciou que vai leiloar NTFs (token não-fungível) de Pulp Fiction (1994) - Foto / Reprodução
Cineasta anunciou que vai leiloar NTFs (token não-fungível) de Pulp Fiction (1994) - Foto / Reprodução

Redação Publicado em 17/11/2021, às 09h06

Quentin Tarantino anunciou que vai leiloar NFTs (token não-fungível) do filme Pulp Fiction: Tempo de Violência, escrito e dirigido por ele em 1994. No entanto, pode ter que enfrentar uma batalha judicial com o estúdio Miramax, produtor do longa-metragem.

As informações são do site "TMZ". O portal afirma que Tarantino não teria combinado a decisão com o estúdio, dono dos direitos sobre a obra. O cineasta pretende leiloar um total de sete tokens digitais com cenas icônicas e inéditas.

O processo, obtido pelo site, diz que a Miramax entrou em contato com o cineasta assim que soube da notícia, solicitando que ele não realizasse o leilão, mas ficou sem resposta. Tarantino seguiu promovendo o leilão e o estúdio acionou na justiça. A antiga "casa" do cineasta -- onde ele produziu boa parte de seus filmes -- agora quer a interrupção das vendas.

Segundo o site "The Hollywood Reporter", um comunicado publicado pela Miramax sobre o caso afirma que o estúdio deseja "preservar e proteger seus direitos contratuais e de propriedade intelectual relacionados a uma das propriedades cinematográficas mais icônicas e valiosas da Miramax". Especula-se, no entanto, que a própria empresa gostaria de entrar no mercado de NFTs e foi "atravessada" por Tarantino.

Ao site, o advogado de Tarantino rebateu, afirmando que ele "faz uso de seus direitos reservados" em contrato, principalmente sobre o roteiro e a mídia interativa. Os NFTs, de acordo com o advogado, não existiam na década de 90 e que os cineastas e estúdios não pensavam nessa questão em termos contratuais.

O NTF é, atualmente, uma espécie de certificado digital o qual utiliza a mesma tecnologia das criptomoedas. O comprador do token possui registro único da peça digital, que pode ser uma arte, publicação ou até mesmo as cenas da produção de Tarantino. A ideia do cineasta e roteirista é vender trechos do roteiro original de "Pulp Fiction" com comentários específicos, que serão liberados apenas para quem fizer a compra.

Comentários