Cenapop
FAMOSOS

Mary Sheyla relembra parto prematuro após diagnóstico de Covid: "Vivi um milagre"

Atriz conta que sua gravidez foi tranquila e que seguiu todas as recomendações

Mary precisou induzir parto apenas na 36ª semana de gestação
Mary precisou induzir parto apenas na 36ª semana de gestação - Reprodução/Instagram

Redação Publicado em 26/05/2021, às 07h24

A atriz Mary Sheyla, 41, relembrou o susto de sua reta final da gestação, em conversa com a revista Quem, ao precisar induzir o parto de Maria Luysa após contrair Covid-19.

Casada com Aldemir Silva e mãe de Esther (11), Mary estava ainda na 36ª semana de gestação, quando começou a sentir sintomas alérgicos no meio deste mês. O nascimento de Maria estava previsto apenas para junho: "Um dia acordei de madrugada com muita falta de ar e pensei que fosse crise de bronquite. Fui à minha alergista e comecei a tratar o problema. Minha saturação estava boa, eu estava sem febre e sem os sintomas clássicos de Covid."

Ela prosseguiu: "Mas avisei ao meu obstetra, especializado em gravidez de risco, Dr. Wolney Magalhães, e ele me disse: 'vai agora para a maternidade'". A atriz disse ainda que sua gestação foi tranquila e que seguiu todas as recomendações para que se protegesse durante a pandemia: "Nem pensei que poderia estar com a Covid porque minha gravidez foi tão tranquila e estava me cuidando tanto". Ela seguiu a ordem do obstetra e foi à maternidade imediatamente: 

"Chegando na Perinatal de Laranjeiras, fiz uma bateria de exames. Não apareceu que eu estava infectada, só apareceu na ressonância magnética. Eu estava com 50% de comprometimento pulmonar. Foi emocionante. Me colocaram no suporte de oxigênio e meu obstetra falou: 'vamos ter que induzir o parto'. Quase infartei. Mas ele explicou que se não fizesse o parto seria muito risco para mim e para a bebê". Por conta do tempo que ainda faltava para o nascimento da filha, Mary revela que não conseguia pensar direito:

"Estava com 36 semanas de gestação e meu obstetra disse que a bebê estava ótima. Não tive tempo de absorver nada. Nem levei roupa para neném e para mim. Eu não sabia que eu estava tão grave. Foi coisa de cinema,  um dramalhão. Passei na maca - a caminho do parto, que acabou sendo cesárea - sendo observada pela minha mãe e pela minha filha, que estavam muito nervosas. A minha mãe achou que fosse me perder". Pesando 3,4 kg e medindo 49 cm, Maria nasceu saudável e ficou bem, sem qualquer problemas: "Eu que fui para o CTI na Perinatal Laranjeiras, que é de grávida de alto risco, e ela foi para a Perinatal da Barra. Depois do nascimento, não a vi mais."

"Quando ela nasceu só pude fazer um carinho rápido na cabeça e tiraram ela de perto de mim. A Covid é uma doença terrível porque discrimina, afasta. Eu estava tomando todas as precauções necessárias para me proteger. Mas a doença é uma bomba relógio". A atriz e a filha tiveram alta quatro dias após o parto e Mary seguiu com o tratamento da Covid em casa, com isolamento de 14 dias e observação. Ela ainda não pôde amamentar Maria durante os primeiros dias de vida da filha:

"Foi feito o melhor e deram mamadeira para ela. Agora estou passando um sufoco para fazer a transição da mamadeira para o peito. Foi muito preocupante porque o leite não desceu, só desceu quando cheguei em casa. Eu já estava desesperada". Por conta da doença, ela ainda irá precisar fazer fisioterapia respiratória para melhorar a capacidade pulmonar: "Estou tendo que reaprender a respirar, às vezes o ar falta. A Covid mexe muito com a cabeça e dá medo. Os médicos me falaram: 'Mary, uma vez dispensada do oxigênio, você não vai precisar dele'. E me vi em casa nesse desespero. É você e a sua cabeça. Não tem remédio."

"Não perdi o paladar e o olfato, só perdi a vontade de comer. Engordei 9 quilos ao todo na gravidez e já voltei ao meu peso original. Vi a mão de Deus, vivi um milagre. Não consigo abrir minha boca para reclamar de nada. É tão bom estar com a minha filha, ela está aqui mamando agora. Ela nasceu pela primeira vez e eu nasci de novo. Minha vida nunca mais será a mesma". Ela ainda considera sua filha parecida com ela: "Não estou bonita, nem fiz fotos com a neném ainda, mas vou melhorar. Estou feliz. Minha filha mais velha insistiu por 11 anos para eu dar uma irmã para ela. Agora ela aqui está brincando de boneca", completou. 

Comentários