FAMOSOS

Danton Mello teve crise de choro ao estrelar no filme "Ninguém é de Ninguém": "Sofri muito ao fazer esse trabalho"

Danton Mello protagonizou em filme inspirado na história do médium Zé Arigó

Ator diz que sofre por saber que existem pessoas "machistas, abusadoras e manipuladoras" - Reprodução / Instagram @dantonmello
Ator diz que sofre por saber que existem pessoas "machistas, abusadoras e manipuladoras" - Reprodução / Instagram @dantonmello

Redação Publicado em 06/01/2022, às 09h08

Danton Mello relembrou da crise de choro que teve ao estrelar no filme Ninguém é de Ninguém, inspirado no livro de Zíbia Gasparetto, produção dirigida por Wagner Assis. No longa, ele interpreta um homem machista que abusa psicologicamente da personagem de Carol Castro.  

"Eu não tenho religião, mas fiquei muito mexido também quando fiz "Predestinado". Eu frequentei reuniões de centro espírita para esse novo papel porque é um tema maravilhoso e misterioso."

"É mostrado que Roberto (personagem machista do novo filme) está nesta vida pagando e agindo por consequência de situações de encarnações passadas. Mas é um cara machista, abusador, manipulador. Sofri muito ao fazer esse trabalho. Tive até uma crise de choro."

"Sofro por saber que gente assim existe de verdade", explicou o ator em entrevista à coluna de Patrícia Kogut, do jornal O Globo

Atualmente em Um Lugar ao Sol, Danton afirma que suas preocupações nos sets de filmagens estão associadas à sua família: "Pensei muito nas minhas filhas durante as filmagens. Aprendi com meus pais a respeitar o próximo. Tento ser esse exemplo para as meninas. Espero que elas não encontrem um cara como Roberto na vida. E, nos estúdios, havia muitas mulheres na equipe que me disseram ter vivido histórias parecidas. Algumas se emocionaram, outras ficaram com raiva de mim ao me ver naquele papel."

"É importante o filme mostrar isso para a gente se atentar ao quão importante é praticar o bem, o amor, a tolerância e a generosidade", completou ele, pai de Luísa, de 19 anos, e de Alice, de 16 anos. 

Comentários