CINEMA

Crítica | Jojo Rabbit é uma comédia feita para nos fazer pensar

Jojo Rabbit é uma sátira ao nazismo e que, por incrível que possa parecer, muito necessária aos dias de hoje, principalmente no Brasil. Veja a crítica.

Roman Griffin Davis e Taika Waititi em Jojo Rabbit - Foto: Reprodução
Roman Griffin Davis e Taika Waititi em Jojo Rabbit - Foto: Reprodução

Redação Publicado em 19/01/2020, às 21h38

Jojo Rabbit é uma sátira ao nazismo e que, por incrível que possa parecer, muito necessária aos dias de hoje, principalmente no Brasil.

No filme, Jojo (Roman Griffin Davis) é um garoto que faz parte da Juventude Hitlerista e tem como amigo imaginário o próprio Adolf Hitler (Taika Waititi, também diretor, produtor e roteirista). Ele vive com sua mãe (Scarlett Johansson), que esconde um segredo em sua casa e que vai transformar toda a sua visão de mundo.

Nesta crítica, feita por conta do Oscar 2020, nosso canal parceiro Cinco Tons explica porque Jojo Rabbit é simplesmente fantástico, merecendo todas a indicações recebidas. Além de ser uma comédia divertida, é uma história que nos faz pensar sobre os rumos que nossa sociedade tomou no passado – e que parecem querer voltar nos dias atuais.

Veja a crítica de Jojo Rabbit, que estreia em fevereiro no Brasil, e deixe seu comentário.

Comentários