Cenapop
CINEMA

Indicação dupla de Scarlett Johansson ao Oscar não é novidade; veja outros casos

Indicação dupla de Scarlett Johansson ao Oscar não é novidade; veja outros casos
Indicação dupla de Scarlett Johansson ao Oscar não é novidade; veja outros casos - Foto: Reprodução

Redação Publicado em 14/01/2020, às 09h00

Muita gente se irritou nesta segunda-feira (13/01) por causa da indicação dupla de Scarlett Johansson no Oscar 2020. Ela foi lembrada nas categorias de Melhor Atriz (por História de Um Casamento) e Melhor Atriz Coadjuvante (por Jojo Rabbit).

Apesar da gritaria nas redes sociais, as duas indicações para a estrela – que nunca havia sido indicada antes ao prêmio máximo da Academia – foram merecidas. Johansson está em um ano de graça: além dos trabalhos reconhecidos no Oscar, ela também participa do filme com maior bilheteria em todos os tempos, Vingadores: Ultimato, que quase chegou aos 3 bilhões no ano passado.

Mas a grita foi intensa no Twitter:


Nós, do CENAPOP, vamos relembrar você, leitor, de alguns casos em que um ator obteve indicação dupla assim como Scarlett. Houveram outros, como Sigourney Weaver em 1989, Holly Hunter e Emma Thompson em 1994, Julianne Moore em 2003 e Cate Blanchett em 2008. Mas abaixo, citamos os principais. Veja só:

 

Fay Bainter (1939)

Fay Bainter – Foto: Reprodução

A primeira vez que isso aconteceu foi em 1939. Fay Bainter foi indicada a Melhor Atriz por Novos Horizontes, e Melhor Atriz Coadjuvante por Jezebel. Ela ganhou como Coadjuvante, mas perdeu a categoria principal para sua co-estrela de Jezebel, a icônica Bette Davis.

 

Teresa Wright (1943)

Teresa Wright – Foto: Reprodução

Quatro anos depois, a história se repetiu: Teresa Wright teve o desempenho lembrado na categoria de Melhor Atriz, por Ídolo, Amante e Herói, e Melhor Atriz Coadjuvante por Rosa da Esperança. E mais uma vez, a atriz nessa posição ganhou o prêmio como Coadjuvante, mas perdeu a categoria principal. Neste caso, para Greer Garson, sua co-estrela em Rosa da Esperança.

 

Barry Fitzgerald (1945)

Barry Fitzgerald – Foto: Reprodução

Dois anos depois de Teresa Wright, um caso inusitado: Barry Fitzgerald foi indicado ao Oscar de Melhor Ator e Melhor Ator Coadjuvante pelo mesmo filme, O Bom Pastor. Ele ganhou como Coadjuvante, mas perdeu o prêmio como principal para Bing Crosby, com quem ele dividiu a tela no mesmo longa. Por causa dele, a Academia instituiu a regra de que um ator ou atriz não pode ser indicado em duas categorias diferentes pela mesma performance.

 

Jessica Lange (1983)

Jessica Lange – Foto: Reprodução

A dupla indicação só voltou a acontecer 37 anos depois, com Jessica Lange sendo indicada ao Oscar de Melhor Atriz por sua interpretação em Frances e como Melhor Atriz Coadjuvante por Tootsie. Mais uma vez, o artista nessa posição levou o prêmio como Coadjuvante. Lange perdeu para Meryl Streep, que ganhava seu primeiro Oscar como protagonista, pelo filme A Escolha de Sofia.

 

Al Pacino (1993)

Al Pacino – Foto: Reprodução

Na década de 90, quem teve uma dupla indicação no Oscar foi o grande Al Pacino. Ele foi indicado como Melhor Ator por Perfume de Mulher e como Melhor Ator Coadjuvante por O Sucesso a Qualquer Preço. Neste caso a ordem se inverteu: o ator ganhou o prêmio como ator principal e perdeu a disputa pela estatueta de coadjuvante para Gene Hackman, pelo filme Os Imperdoáveis, de Clint Eastwood.

 

Jamie Foxx (2005)

Jamie Foxx – Foto: Reprodução

Já nos anos 2000, o melhor exemplo de dupla indicação foi para Jamie Foxx. Ele teve suas duas únicas lembranças da Academia em 2005, quando disputou como Melhor Ator por Ray e Melhor Ator Coadjuvante por Colateral. Ele acabou levando o prêmio por sua visceral interpretação de Ray Charles no filme dirigido por Taylor Hackford. Na outra categoria, ele perdeu para Morgan Freeman, de Menina de Ouro (também dirigido por Eastwood).

Comentários