FAMOSOS

Suzana Alves volta a atacar Daniel após namoro "inventado": "Feio não falar comigo"

Suzana Alves, intérprete da Tiazinha, acusou Daniel de mentir em biografia lançada em 2014

Suzana Alves, a eterna Tiazinha, desmentiu informação de Daniel - Foto: Reprodução / Instagram
Suzana Alves, a eterna Tiazinha, desmentiu informação de Daniel - Foto: Reprodução / Instagram

Redação Publicado em 05/01/2022, às 15h43

Suzana Alves, que ficou famosa nos anos 90 por interpretar a Tiazinha no programa de Luciano Huck, voltou a falar da polêmica em que foi envolvida pelo sertanejo Daniel -- o cantor disse em sua biografia de 2014 que teve um caso com ela.

Em sua conta no Instagram, Suzana afirmou que não teve nenhum tipo de relação com Daniel, e que ele havia se apaixonado pela personagem que ela interpretava, e com isso apenas ele "visualizou" o romance entre os dois.

Ela ainda garantiu que eles se encontraram apenas uma vez, desmentindo a informação dada pelo cantor na obra.

Veja a íntegra da declaração de Suzana:

"Na época que o Daniel lançou esse livro a imprensa começou a me ligar para eu dar entrevista e responder a respeito do que ele tinha falado no livro. Eu não sabia o que era, alguém tirou uma foto da página, das coisas que ele escreveu e eu fiquei chocada. Eu procurei meu advogado e ele falou ‘infelizmente isso só vai dar mais ibope, que é o que querem para vender esse tipo de livro. Você vai gastar tempo e energia e não vai conseguir provar que você está falando a verdade e ele mentiras. O público tem muita empatia pelos dois, é desnecessário, você não precisa provar nada para ninguém, você sabe o que aconteceu na época.”

E aí chegamos à conclusão que, assim como não só ele, muitos homens na época… Tanto que no livro ele se refere a mim como a personagem, não a minha pessoa. Você pode ler lá e você vai ver que é uma criação da imaginação dele, do que ele sentiu. Assim como histórias de outras pessoas que me mandam mensagem, que até hoje são apaixonadas pelo mito, pela personagem.

Eu tinha uma produtora na época, que até hoje é uma grande amiga, que trabalhou com o Daniel antes de trabalhar comigo e ela sonhava que um dia eu pudesse namorar o Daniel porque nós dois éramos pessoas maravilhosas e isso deve ter expandido da mente dela pra ele porque eles eram muito amigos. E eu lembro que quando eu fazia aniversário o Daniel me mandava presente por ela, lembro disso da minha festa de 21 anos.

Eu realmente não me relacionei com o Daniel. Fui uma vez no show dele, encontrei o Daniel uma vez e não aconteceu nada. Se tivesse acontecido, como que eu não lembraria? Houve sim tentativas da Angela, tentando fazer com que a gente namorasse, que a gente tinha tudo a ver, mas a gente não tinha nada a ver um com o outro. No meu entendimento ele visualizou tudo isso.

Eu lembro que os sertanejos na época não podiam namorar, inclusive ele tinha uma namorada e não contava para as fãs não se decepcionarem. Então acho que isso foi muito lúdico da mente dele e acho muito feio ele não falar comigo.

Eu jamais estaria aqui falando tudo isso, mas estou sendo obrigada a me defender. Eu era solteira, não teria problema nenhum em falar nada. Jamais poderia imaginar que uma pessoa pudesse criar isso como se fosse real, criar uma história e lançar em uma biografia, que é algo tão poderoso, mas que é sobre verdades, não sobre imagens da mente que a pessoa criou.

Fico muito triste que o Daniel não fala comigo, ele poderia me ligar, pedir desculpas, porque achei isso uma falta de respeito. Mas eu vou esperar, Creio que um dia a gente vai conversar, ele vai olhar dentro do meu olho e a verdade vai ser esclarecida.

Eu respeito muito o Daniel e por isso acho que me decepcionei tanto. Estou escrevendo minha biografia e vejo o quanto que ela é para inspirar pessoas. A carreira do Daniel é tão sólida, bem estruturada que jamais uma pessoa precisaria expor várias outras histórias que ele colocou na biografia para se provar para ele mesmo o que? Ele não precisa de nada disso. Quem instruiu ele? Da onde tiraram isso?

Gostaria sim que o Daniel me ligasse, falasse comigo, pedisse desculpas para mim e minha família porque não achei bonito, não é verdade. Ter uma tentativa de uma paquera, de você se apaixonar pela pessoa, enviar um presente no aniversário, tentar encontrar essa pessoa não significa ter um caso com essa pessoa. Por isso acho que ele teve um amor platônico não por mim, Suzana Alves, mas pela personagem Tiazinha.

Isso ficou muito claro para mim e resolvemos não entrar com processo, resolvi deixar pra lá. Teve muita coisa que deixei pra lá da época da Tiazinha, muitas falsas mentiras que saíam em jornais. Eu nunca fui santa porque sou um ser humano. Mas já naquela época sempre fui uma pessoa muito íntegra, nunca deixei de ser, Nunca me relacionei com pessoas pelo o que elas representavam, mas sim pelo o que elas eram. Quando batia, batia. E com o Daniel nunca bateu. Só na amizade, admiração. Nem amizade, porque nunca tive contato com ele, mas era respeito pela pessoa, pelo artista.

Mas infelizmente ele criou, inventou, viajou, imaginou dentro da mente dele, do coração dele, não sei o que aconteceu que ele realmente criou uma história achando que era verdade. Toda vez que lembro dessa história fico revoltada e chateada porque falo ‘gente’... Só que eu sei que isso é uma coisa masculina, hoje com a maturidade você fala ‘nossa, realmente…”

Encontro pessoas no aeroporto que falam ‘terminei meu noivado por causa da Tiazinha, por causa de ciúmes’. As pessoas tem de tudo. Lembro de pessoas me encontrarem e falar ‘a Tiazinha acabou com o meu casamento’, então assim, as pessoas podem mesmo acreditar.

Uma coisa que pegou muito pra mim pra eu ter deixado super rápido esse mito da personagem foi exatamente isso. As pessoas acreditavam no que queriam, elas imaginavam coisas a respeito. E quando tem essa questão da sexualidade envolvida, pro homem aquilo passa a ser algo mitológico, algo fantasioso. E pra mulher também, que acaba tendo ciúmes de uma pessoa que vê na televisão, e acaba terminando um relacionamento por causa disso. Por isso que esse universo é poderoso, comercial e triste.

Como as pessoas acreditam no que elas querem e as pessoas vivem dessas crenças, por que seria diferente com o Daniel? Porque ele é um artista, que se expõe, está na mídia? Não! Porque essa coisa lúdica de acreditar, a personagem ganha uma força maior do que a realidade… Vocês sabem disso, ficam bravos com a personagem na novela. Porque as pessoas vivem tanto o mito que acabam acreditando naquilo.

Por isso, gente, cuidado. Por isso que fui buscar essa sanidade mental e viver a Suzana, minha realidade. Porque posso fazer personagens, mas não sou elas. Isso não tem a ver com ‘virou cristã’, ‘virou santinha’. Mas o mundo é machista. Quem quer aparecer? Ninguém quer. Essa história de que inventei… Fui eu que escrevi o livro? Que criei essas ilusões?

Se eu quisesse aparecer nunca teria deixado de fazer a personagem Tiazinha, nunca teria saído da televisão, nunca teria pedido demissão. Se eu quisesse aparecer teria outra trajetória na minha vida, isso é óbvio. Sou cristã há 18 anos, deixei a Tiazinha há 23 anos. Deixei por inquietação, por querer fazer a minha arte, por querer ser eu mesma, querer conhecer a mim mesma.

Tenho muita preguiça de estar aqui tendo que me justificar, de verdade, porque pra mim a intenção do coração é o que vale. É o arrependimento, o amor, como eu trato as pessoas. Jamais quero expor aqui alguém que me fez mal no passado. Vocês nunca me viram aqui falar nada de ninguém daquela época, do tanto que fiquei vários anos sozinha, passando perrengues por conta da fama, de falta de emprego, nunca em viram fazer nada disso.

Sei que tem muita gente que tudo que lê, acredita. Estou escrevendo minha biografia e tentando tomar muito cuidado com isso porque acho que uma biografia diz respeito ao crescimento, não é fácil. Poderia criar várias histórias incríveis no meu livro e ia vender muito, mas não é sobre fofocas ou imagens ou do que eu pensava e imaginava, mas sobre a realidade e como ela me fez aprender e crescer. Sem machucar ninguém e sem expor as pessoas ao ridículo, querendo humilhar as pessoas. Isso é uma coisa muito feia e fico muito chateada com o Daniel por conta disso, quero que me ligue e me peça perdão

Ele pedindo perdão pra mim ou não, eu já perdoei ele só estou aqui porque o perdão é uma quest]ão do que eu penso a respeito da pessoa, óbvio que você fica chateada quando inventam uma história, pensa pra que, por que. Mas já perdoei, Deus está no controle, vai falar no coração dele um dia. E quem sabe uma hora dessas eu recebo uma ligação dele falando ‘nossa, caiu a ficha, realmente vivi um amor platônico’ porque pra mim só pode ser isso. Mas perdoo ele, que Deus abençoe a família dele e que ele continue crescendo cada vez mais na carreira dele, no amor, na vida, na verdade. Mas principalmente que a humildade esteja na vida dele’.

Comentários