FAMOSOS

Gizelly Bicalho diz que "medo de cancelamento" está atrapalhando o jogo no BBB 22

Gizelly Bicalho tem acompanhado o novo BBB e deu sua opinião sobre os participantes

Gizelly Bicalho falou sobre a nova temporada do BBB - Foto: Reprodução / Instagram
Gizelly Bicalho falou sobre a nova temporada do BBB - Foto: Reprodução / Instagram

Redação Publicado em 27/01/2022, às 16h40

A ex-BBB Gizelly Bicalho mostrou que acompanha a nova temporada do reality show da Globo, onde esteve como participante há dois anos. Ela afirmou que o medo do cancelamento atrapalha o jogo de muita gente no confinamento.

“Falando bem a verdade mesmo, o último Big Brother que as pessoas foram quem elas realmente são, foi o 20. O outro foi aquela onda de cancelamento e nesse as pessoas têm medo. Elas têm medo de ser quem elas são porque uma pessoa X, aqui fora, pode não gostar e cancelar. Entre saírem plantas e saíram canceladas, elas preferem sair plantas. O primeiro a se jogar real, ganha esse BBB”, disse ela para a "Marie Claire" nesta quinta (27/01).

Ela recordou a primeira vez que ouviu o termo "cancelamento", e foi dentro do BBB, em um dos discursos do então apresentador, Tiago Leifert. "Na minha época, eu não sabia nem o que era cancelamento. O Tiago uma vez comentou sobre isso e a Rafa (Kalimann) e a Manu (Gavassi) passaram um tempão tentando me explicar. Aquela onda de ódio, ninguém merece receber, inclusive quem comete coisas terríveis", começou.

Acho que muitas pessoas não têm conhecimento. Precisa chegar e falar que aquilo não é legal, que as pessoas não aceitam mais essa postura, mas receber ameaças, eu sinto que perde o sentido de ensinar para pessoa o verdadeiro motivo daquilo estar errado”, afirmou.

Ela ainda citou o emblemático caso de Karol Conká, eliminada com 99,17% dos votos no ano passado. "A Karol não podia nem sair na rua, e isso é absurdo, por mais que eu não concordasse com a postura dela. Não sei se sou assim por ser advogada criminalista. Eu estou acostumada a trabalhar com pessoas que erraram", citou.

"A pessoa dizia o que ela tinha feito, eu não concordava, e claro que é necessário pagar por isso, mas pagar na medida correta. E não os filhos deixarem de ir à escola porque são filhos ela, por exemplo. E foi ainda mais pesado por ela ser uma mulher negra. Não estou passando pano para a Karol, ela errou sim, mas a família toda sofreu junto. Por isso, acho que as pessoas estão com medo de jogar nessa edição", argumentou.

Por fim, a advogada citou quem são os seus preferidos na edição deste ano: "Gosto do Tiago (Abravanel), da Linn (da Quebrada), da Jade (Picon), da Maria. Tem uma galera, mas não sei ainda o top 3. Esse povo não se solta, aí fica difícil. Para participar de reality tem que ser muito corajoso, não é fácil, e eles estão com muito medo ainda", lamentou.

Comentários