Cenapop
FAMOSOS

Livro reúne mais de 300 frases de Silvio Santos: “Não posso esquecer minhas origens de camelô”

Livro reunirá mais de 300 frases ditas por Silvio Santos
Livro reunirá mais de 300 frases ditas por Silvio Santos - Foto: Reprodução/ Instagram

Redação Publicado em 26/04/2017, às 10h54 - Atualizado às 10h58

Uma vinheta misteriosa chamou a atenção dos telespectadores do SBT neste mês de abril.

Sem dar nenhuma explicação, a emissora divulgou um teaser com a frase “A Trajetória de Um Mito. Vem Aí”.

Após muitas especulações, o concreto: trata-se de uma biografia que reunirá fatos e revelará detalhes da vida de Silvio Santos pouco confidenciados com o público.

À frente do projeto está o professor e jornalista Fernando Morgado, que resolveu intitular a obra Silvio Santos – A Trajetória do Mito.

Lançado pela Matrix Editoria, a biografia também reunirá centenas (mais de 300) frases ditas pelo apresentador em entrevistas e publicamente ao longo de sua carreira.

O aglomerado inclui temas como homossexualidade, sexo, drogas e política, entre muitos outros, organizados em categorias como negócios, dono de televisão, artista, vida pessoal, etc.

Veja algumas das frases escolhidas pelo jornalista para o livro:

“Os intelectuais não me compreendem. Querem que eu toque música clássica. Mas eu não gosto. Não adianta insistir. Meus programas são populares e eu me identifico com o povo. Não posso esquecer minhas origens de camelô”. (Estado de S. Paulo, 1983).

“Não sou luxurioso”. (Folha de S. Paulo, 1988).

“Não gosto de estrelas. Não recontrataria a Lillian Witte Fibe, porque ela reclama muito. De estrela, no SBT, basta o dono”. (Veja, 2000).

“Aqui os maconheiros serão despedidos, se houver; os cocainômanos serão despedidos, nem que sejam os maiores cartazes da empresa”. (Folha de S. Paulo, 1988).

“Amigos íntimos, acho que não tenho nenhum”. (Veja, 1975).

“Na verdade, se não fosse animador, gostaria de ser pastor. Mas, na minha igreja, eu só ia falar do Velho Testamento. Está tudo lá”. (Veja, 2000).

“O pessoal não acredita, mas eu sim. E não vou me arriscar. A cigana só falou de filme, livro e entrevista. Exposição, não”. (Folha de S. Paulo, 2016). Segundo teria previsto uma vidente, Silvio Santos morreria no dia seguinte caso desse uma entrevista, escrevesse um livro ou participasse de algum filme.

“Só (tenho medo) de doença. Mas não sou hipocondríaco. No meu corpo só entram três drogas: Doce Menor, Synthroid, que é remédio para tireoide, e Rohypnol, que uso para dormir”. (Veja, 2000).

“A minha maior tristeza foi a morte da minha primeira mulher, Cida, aos 39 anos de idade, com câncer no estômago. A minha maior alegria foi ter conhecido a minha esposa, Iris”. (SBT, 1988).

Clique na imagem abaixo e veja fotos raras da carreira de Silvio Santos:

Silvio Santos em diferentes épocas na TV – Foto: Reprodução/ Instagram/ Programa Silvio Santos

Comentários