CINEMA

SARS-CoV-2 / O Tempo da Pandemia: Filme estreia na 45ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo

SARS-CoV-2 / O Tempo da Pandemia é dirigido por Eduardo Escorel e Lauro Escorel

Lauro Escorel (esq.) e Eduardo Escorel (centro) entrevistam Drauzio Varella - Foto: Reprodução / Gustavo Michelin
Lauro Escorel (esq.) e Eduardo Escorel (centro) entrevistam Drauzio Varella - Foto: Reprodução / Gustavo Michelin

Redação Publicado em 11/10/2021, às 11h18

O documentário "SARS-CoV-2 / O Tempo da Pandemia", dirigido por Eduardo Escorel e Lauro Escorel, foi selecionado para a 45ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, e fará sua pré-estreia mundial no evento. O longa entrevista médicos e especialistas em saúde pública que, sob a liderança de Paulo Chapchap, aceitam a missão de colaborar no combate ao coronavírus e integrar a iniciativa Todos pela Saúde. Chapchap convida Drauzio Varella, Eugênio Vilaça, Gonzalo Vecina, Maurício Ceschin, Pedro Barbosa e Sidney Klajner para decidir que medidas propor com o objetivo de salvar vidas. 

Além dos depoimentos do comitê gestor, o filme reúne relatos emocionantes de sete profissionais da linha de frente, atuantes em São Paulo e Manaus, sobre a experiência de cuidar de pacientes e idosos durante a pandemia de Covid-19. "Reunimos, assim, a perspectiva dos planejadores e a dos executores, por assim dizer, que atuaram indo ao encontro do vírus. São pontos de vista complementares, ambos essenciais para captar a experiência de enfrentar a pandemia", afirma Eduardo Escorel, que assina a direção ao lado de Lauro Escorel. 

O documentário foi rodado em abril e maio de 2021, o que exigiu cuidados especiais da equipe em relação aos protocolos sanitários e logística necessária para as filmagens em São Paulo e Manaus, além de uma diária em Belo Horizonte. A montagem também foi feita à distância, com um dia presencial em uma ilha de edição. "A seleção para a Mostra de São Paulo é uma credencial de valor que nos permite estrear o filme cinco meses após as filmagens, preservando sua atualidade", avalia Eduardo Escorel. 

Seis dos sete médicos e especialistas integrantes do comitê gestor do Todos pela Saúde foram entrevistados em um teatro, em São Paulo; o sétimo integrante do comitê, em um estúdio, em Belo Horizonte. Os sete profissionais da linha de frente foram acompanhados, de forma geral, em seus locais de trabalho – hospitais, uma instituição de longa de permanência para idosos, em Manaus e São Paulo. Além disso, locais no Estado de São Paulo e Amazonas, relacionados aos eventos, desde a nova fábrica de vacina do Instituto Butantan, ao cemitério em Manaus e à usina de oxigênio em Tefé, entre outros, também compõem o documentário.    

Comentários