Cenapop
Quem é pop, por Fabiano de Abreu

Musa fitness Isabella Cirne desabafa: “A obsessão pelo corpo perfeito descontrolou a sociedade”

Isabella Cirne
Isabella Cirne - Foto: MF Models/ Divulgação MF Models Assessoria

Fabiano de Abreu Publicado em 12/12/2015, às 22h32

A Musa Fitness e personal trainer Isabella Cirne anda preocupada com a obsessão de algumas pessoas na busca pelo corpo perfeito. Forma em educação física, Isabella questiona os métodos utilizados por muitos para conseguir o que chamam de corpo ideal.

 

Isabella Cirne – Foto: MF Models/ Divulgação MF Models Assessoria

“O culto ao corpo nos dias atuais é reflexo de saúde e vida saudável. Será?? A estética  vem tomando um espaço na vida das pessoas que tem me assustado.  A obsessão pelo corpo sarado e atlético virou um padrão que nem sempre é o mais saudável. Em busca do corpo tão sonhado, adolescentes estão se submetendo a coisas que futuramente terão um alto preço. Se engana quem acha que ser saudável é se alimentar apenas de: batata doce e frango, fazer a dieta da moda, seguir a alimentação da blogueira, etc. Se submetem a uma dieta bem restrita. Isso quando não fazem uso de substancias ilícitas para conquistar mais rápido seu sonhado ” corpo padrão ” Lamentável”, desabafa Isabella.

 

 

A modelo fitness diz que corpos magros e atléticos são sinônimos de perfeição e que  as pessoas se tornaram obcecadas pelo padrão vigente de beleza, no qual todos querem se inserir. Para Isabella,  o individuo tenta projetar em si o que é belo aos olhos da sociedade, ou seja, as pessoas se moldam aos padrões dominantes, estipulados e propagados pelo mundo capitalista, pela indústria da moda e mídia, procurando por meio disso a aceitação, autosatisfação. Essa busca obsessiva pelo corpo perfeito e estética trouxe serias consequências a nossa sociedade. Muitos, em sua maioria adolescentes insatisfeitos com seu corpo, acabaram aumentando o numero de casos de doenças como anorexia, bulimia e vigorexia (transtorno caracterizado pela pratica compulsiva de exercícios físicos) colocando sua vida e saúde em risco, transformando- se em pessoas doentes na busca dessa adequação e autoestima, onde ocorre uma banalização do corpo em busca da imagem perfeita.”

 

Para Isabella, o mais importante é que cada um respeite sua genética e biotipo. Mas, segundo a educadora física, o que tem ocorrido é o contrário e a busca por um padrão de beleza se dá por mera vaidade.

 

“Hoje as coisas funcionam assim: se minha amiga é assim eu terei que ficar assim. Na minha opinião, um dos grandes responsáveis são as mídias sociais, onde vemos coisas absurdas. Blogueiras publicam coisas para serem bons exemplos mas no fundo terminam nem elas seguindo o que publicam. Dai chega um leigo e segue o que aquela pessoa posta e o resultado é essa bagunça que temos assistido. Excessos de exercícios, falta de sono, hormônios alterados e desnutrição”, critica Isabella.

 

Formada em Educação Física há 10 anos, Isabella Cirne faz dieta há mais de 15 anos e se dedica a treinos quase diários de musculação desde seus 16 anos. Apaixonada pelo esporte, a modelo pensa que o crescimento do mercado fitness e a necessidade do escoamento da produção de suplementos e tendências tem vendido uma ilusão aos jovens.

“Hoje com 34 anos e vejo pessoas que com uma semana de academia me perguntam se pode tomar whey protein porque quer ficar igual a atleta que ela segue nas redes sócias. Falta de informação? Ignorância? A mídia e as empresas de suplementos fizeram  uma lavagem cerebral na população. A saúde, bem estar, é consequência! Isto quando não é a mais prejudicada e afetada”, finaliza Isabella.

Comentários