NETFLIX

Opinião: "Não Olhe Para Cima" e como negacionistas tentam mudar o significado do filme

"Não Olhe Para Cima", com Leonardo DiCaprio e Jennifer Lawrence, faz sucesso nas redes sociais

"Não Olhe Para Cima" vem gerando debates entre o público; afinal, o filme tira sarro de quem? - Foto: Reprodução / Netflix
"Não Olhe Para Cima" vem gerando debates entre o público; afinal, o filme tira sarro de quem? - Foto: Reprodução / Netflix

Redação Publicado em 28/12/2021, às 15h10

"Não Olhe Para Cima" pode não ter sido o sucesso esperado nos Estados Unidos -- basta ver a nota do longa no prestigioso Rotten Tomatoes -- apesar de seu elenco estrelado. No entanto, aqui no Brasil, o filme não demorou para viralizar, já que na temática e na representação, está muito próximo do que vivemos nos últimos anos, politicamente falando.

O sucesso do trabalho dirigido por Adam McKay se deve aos paralelos que podem ser feitos a partir da premissa: no filme, dois cientistas (Leonardo DiCaprio e Jennifer Lawrence) descobrem um cometa enorme vindo em direção à Terra, e que tem o potencial para aniquilar o planeta. Eles procuram a presidente dos Estados Unidos (Meryl Streep), que faz pouco caso; procuram a imprensa (Tyler Perry e Cate Blanchett) que não os leva a sério.

O desespero latente nos personagens de DiCaprio e Lawrence com o negacionismo científico e a tendência da imprensa em "dourar a pílula" encontrou eco nos brasileiros que passaram um sufoco e tanto durante a pandemia do novo coronavírus. A intenção do diretor era fazer um paralelo com o aquecimento global, mas a covid-19 tratou de ressignificar a história inteira -- e encaixou direitinho.

Acontece que, por aqui, o pessoal da extrema-direita (sim, aquela) tem usado as redes sociais para tentar ressignificar "Não Olhe Para Cima". Como se o filme tivesse a intenção de enaltecer os anti-vacinas, por exemplo, e glorificar cientistas que endossaram o "kit covid" com cloroquina e azitromicina. É um fenômeno singular: ou trata-se de mau-caratismo ou uma profunda defasagem de interpretação.

Veja o vídeo para a análise completa:

Comentários