Música

Baixista do Nightwish se demite da banda e anuncia abandono da vida pública: "Sou depressivo crônico"

Marko Hietala é um dos membros fundadores da banda de metal, considerada uma das maiores do gênero

Marko Hietala, baixista e vocalista da banda Nightwish, resolveu sair da banda e explicou seus motivos - Foto: Reprodução / Instagram@marko_hietala_official
Marko Hietala, baixista e vocalista da banda Nightwish, resolveu sair da banda e explicou seus motivos - Foto: Reprodução / Instagram@marko_hietala_official

Redação Publicado em 12/01/2021, às 09h57

O baixista e vocalista finlandês Marko Hietala, da banda Nightwish, surpreendeu na manhã desta terça-feira (12/01) ao anunciar sua saída da banda. Além disso, ele também anunciou que abandonará a vida pública.

Em longo texto postado em seu Instagram, o músico explicou seus motivos para tomar essa decisão. "Queridas pessoas. Estou deixando o Nightwish e minha vida pública. Há alguns anos não tenho sido capaz de me sentir validado por esta vida. Temos grandes nomes da empresa de streaming que exigem trabalho integral de artistas inspirados, enquanto compartilhamos os lucros de forma injusta. Mesmo entre os artistas", começou.

Marko continuou seu protesto: "Somos a república das bananas da indústria da música. Os maiores promotores de turnês obtêm porcentagens até mesmo de nossos próprios produtos, enquanto pagam dividendos ao Oriente Médio. Aparentemente, algumas teocracias podem tirar o dinheiro da mesma música que faria com que você fosse decapitado ou preso nem sem parecerem hipócritas. Apenas alguns exemplos aqui", explicou.

Segundo Marko, a pandemia também fez com que ele se questionasse a respeito de sua vida na estrada. "Me vi muito desiludido com essas e muitas coisas. Descobri que preciso dessa validação. Para eu escrever, ver e tocar, preciso encontrar alguns novos motivos e inspirações. 'Meu Walden', por assim dizer", frisou, citando o livro de Henry David Thoreau, que leva o mesmo nome.

Saúde mental

Além disso, Marko também falou sobre seus problemas de saúde mental, que ele já havia revelado anteriormente. "Está até no meu livro que sou depressivo crônico. É perigoso para mim e para as pessoas ao meu redor, se eu continuar. Alguns dos pensamentos de um tempo atrás estavam sombrios. Não se preocupe, estou bem. Tenho meus dois filhos, uma esposa, o resto da família, amigos, um cachorro e muito amor. E eu não acho que irei embora para sempre", relatou, procurando acalmar os fãs.

Para tentar evitar qualquer comentário sobre uma possível briga com seus colegas de banda, Marko foi taxativo. "Conspiração é a palavra do dia. Para as pessoas que gostam delas, devo dizer que meu 55º aniversário é agora no dia 14 de janeiro e certamente já cumpri minha pena por agora. Culpar, por exemplo, Tuomas é um insulto tanto a ele quanto ao meu pensamento livre. Isso é uma coisa muito triste para todos nós também. Tenha cuidado, por favor. Mas é claro que agora saberemos, se alguns forem lá de propósito", escreveu.

Apenas uma brecha

Em seguida, Marko explicou que ainda tem alguns compromissos profissionais a cumprir, ao qual está ligado por contratos assinados anteriormente à sua decisão. No entanto, quem desejar chamá-lo para algum projeto não deve fazê-lo antes de 2022.

O músico deixou apenas uma brecha: ele toparia participar de alguma produção se fosse chamado por Tony Iommi, o lendário guitarrista do Black Sabbath: "O herói da infância tem precedência", enfatizou.

Por sua vez, os outros membros do Nightwish -- Floor Jansen, Troy Donockley, Emppu Vuorinen e Kai Hahto -- afirmaram que vão continuar com os shows, mas sem substituir Marko por enquanto.

"Respeitamos a decisão de Marko e desejamos a ele tudo de bom. Não vamos comentar mais", disse o curto texto.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Marko Hietala (@marko_hietala_official)

 

Comentários