Império

Vinte anos após sofrer preconceito por personagem gay, André Gonçalves diz: “Hoje o respeito é maior”

André Gonçalves em "Império" (Crédito: Alex Carvalho/TV Globo) Vinte anos após sofrer na pele o preconceito por interpretar um personagem gay na TV, André

André Gonçalves em “Império” (Crédito: Alex Carvalho/TV Globo)
André Gonçalves em “Império” (Crédito: Alex Carvalho/TV Globo)

Redação Publicado em 18/02/2015, às 21h19 - Atualizado às 22h59

Vinte anos após sofrer na pele o preconceito por interpretar um personagem gay na TV, André Gonçalves comemora seu atual papel na novela Império, como o também homossexual Etevaldo. Em entrevista para o jornal Extra, desta quarta-feira (18), ele revelou que torce para que o autor Aguinaldo Silva apimente ainda mais a relação de seu personagem com Leonardo (Klebber Toledo).

“Já existe a torcida. E é um casal bonito, né? Torço para que eles fiquem juntos, e ficaria ainda mais feliz se isso pudesse ser um triângulo, com Amanda (Adriana Birolli) e Etevaldo dividindo Leonardo”, contou o ator.

Em A Próxima Vítima, ele interpretou Sandrinho, que não foi bem aceito por uma parte do público na época: “Em 1995, eu sofri na carne com a violência. Fui agredido e precisei andar com segurança por três meses. Hoje percebo o acolhimento do meu trabalho, mas também o do personagem. Ainda estamos numa sociedade machista, e que tem uma parcela careta, mas o respeito é muito maior”.

Etevaldo e Sandrinho, no entanto, não foram os únicos personagens gays que André já deu vida. Com isso, ele exalta a importância desses trabalhos  para a sociedade: “Damos visibilidade a essas pessoas, a esse sentimento. A nossa função é desmistificar, quebrar a quarta parede, propor um diálogo, para que todos nós possamos ser entendidos e aceitos. Gosto de fazer a diferença, mas principalmente de mostrar o lado humano dessas figuras”.

Comentários