Cenapop
Geek

Twitter suspende homem que desejou “morte dolorosa” para Baby Yoda

Twitter suspende homem que desejou “morte dolorosa” para Baby Yoda
Twitter suspende homem que desejou “morte dolorosa” para Baby Yoda - Foto: Reprodução/Disney+

Redação Publicado em 29/11/2019, às 21h25 - Atualizado às 21h39

Toda a internet se encantou com o personagem de The Mandalorian que ganhou o apelido de Baby Yoda. Ele aparece nos episódios da série baseada em Star Wars, que ainda não estreou no Brasil.

Sua aparência fofa acabou sendo incorporada na cultura pop atual. O pequeno personagem encantou a todos que viram fotos, vídeos e gifs dele circulando pelas redes sociais.

Quer dizer: quase todos. Will Sloan, um podcaster de Toronto, no Canadá, não gostou nada do tal Baby Yoda. Ele chegou a falar sobre o assunto em sua conta no Twitter. O que ele não esperava era a reação das pessoas, que defenderam o personagem com unhas e dentes – e denunciando Sloan por assédio.

Tudo começou quando, na quinta-feira passada (21/11), Sloan reagiu a um artigo da revista Esquire, que afirmou: “The Mandalorian transformou Baby Yoda em um ícone de pureza – um raro momento em que atravessamos o corredor da Internet para simplesmente dizer: ‘Isso é bom!'”. Irritado com a atenção que Baby Yoda tem recebido, o podcaster retuitou o artigo e acrescentou: “Espero que ele morra dolorosamente”.

Foi o suficiente para atrair a ira dos internautas. Em questão de 20 minutos, ele recebeu tantas denúncias no Twitter que a rede social enviou uma notificação a Sloan afirmando que ele violou as regras de abuso e assédio. Com isso, ele ficou impedido de criar tweets ou favoritá-los durante sete dias. Apesar disso, ele ainda seria capaz de enviar DMs (mensagens diretas).

Incrédulo, Sloan deu uma entrevista por telefone para a CTVNews.ca contando como era estar na tão temida “prisão do Twitter”, quando a rede social bloqueia as principais funções de um usuário como punição à quebra de suas regras.

“Basicamente, foi uma piada … e eu achei engraçado”, Sloan disse, aos risos. “Essa proibição parecia a coisa absolutamente mais idiota pela qual você poderia ser banido”, afirmou.

 

Twitter (não) comentou o assunto

O site CTVNews.ca solicitou uma posição oficial do Twitter. O porta-voz da rede social no Canadá, Cam Gordon, mandou uma nota: “não comentamos tweets individuais ou o status de contas individuais como uma questão de privacidade para os usuários”.

Depois de tentar apelar da decisão do Twitter, Sloan decidiu apenas ler o dilúvio de tweets de piada que o apoiavam. Foram “semanas de risadas por esse ridículo”, disse. Ele também usou suas contas no Twitter para dois podcasts que ele co-apresenta para destacar que ele simplesmente ameaçou um personagem fictício.

Além disso, Sloan também apontou a hipocrisia do site em sinalizá-lo, mas permitindo que o presidente dos EUA, Donald Trump, escreva regularmente ameaças de guerra contra países como a Coréia do Norte, bem como a plataforma que não reprime ameaças sexistas e racistas contra autoridades eleitas, esportistas do sexo feminino ou mulheres na mídia.

“Mas, aparentemente, o tabu é que você não pode tirar sarro dos bonecos de propriedade da Disney”, disse, irônico.

Perguntado sobre o futuro, Sloan disse que “não pretendo desejar a morte de Yoda novamente”. No entanto, para outros personagens fictícios, “como o Twitter, eu tomo (a decisão) caso a caso”, alfinetou.

Comentários