FAMOSOS

“Colocava duas calças para não parecer tão magra”, diz bailarina do Faustão, ao lembrar bullying na escola

Erika Schneider contou que sofria por ser magra demais na adolescência

Erika Schneider contou que sofria bullying na época da escola - Foto: Reprodução/ Instagram
Erika Schneider contou que sofria bullying na época da escola - Foto: Reprodução/ Instagram

Redação Publicado em 16/07/2020, às 06h02

Uma das musas que alegram o balé do Domingão do Fasutão, Erika Schneider contou que sofreu muito bullying na escola na época em que era adolescente por ser magra demais.

Sempre elogiada pela beleza, a loira explicou que era chamada de Olívia Palito (a menina dos olhos de Popeye) e também de Dumbo (o elefante orelhudo da Disney) por seus colegas de classe.

“Morria de vergonha de usar short ou saia. Colocava duas calças e duas blusas para ir à escola no calor de 40 graus. Me chamavam de Olívia Palito e Dumbo também, porque tinha orelha de abano”, explicou Erika, que hoje atrai olhares por onde passa.

Os comentários maldosos, segundo ela, afetaram sua autoestima: “Isso afetava minha autoestima. É uma fase que você precisa ser aceito pelos outros para se auto afirmar. Com o tempo, a gente vai evoluindo e aprendendo que quem tem que achar algo sobre os nossos corpos somos nós, mas claro, na adolescência eu não pensava assim”, explicou.

A rejeição na adolescência acabou servindo como estímulo para Erika mudar o corpo. “Me estimulou a querer melhorar, a me cuidar. Acabei tomando gosto por treinar. Hoje em dia, eu trabalho com minha imagem e gosto de ter cuidados com o corpo. Pela saúde e estética”, contou.

“Isso me impulsionou. Mas falar da aparência de alguém é seríssimo. A pessoa que sofre essa rejeição pode carregar traumas por toda vida. Isso pode ser gatilho para muitas coisas ruins. Ensinem aos seu filhos a nunca praticarem bullying”, aconselhou a bailarina.

Comentários