FAMOSOS

Anitta alerta fãs sobre eleições: "Lembrar de olhar o histórico dos candidatos”

A cantora tem usado suas redes sociais para ajudar na orientação de seus seguidores a respeito do pleito do próximo domingo (15/11)

Anitta tem usado suas redes para ajudar os fãs a votar na próxima eleição - Reprodução/Instagram
Anitta tem usado suas redes para ajudar os fãs a votar na próxima eleição - Reprodução/Instagram

Redação Publicado em 13/11/2020, às 17h40

Depois de anos sendo acusada de ser omissa em questões públicas, Anitta resolveu se posicionar. E o tem feito em grande estilo: nesta semana, por exemplo, a funkeira tem usado as suas redes sociais para ajudar seu público a ter consciência de voto nas eleições para prefeito e vereador, que serão realizadas no domingo (15/11).

Pelo Twitter, ela publicou um texto em que pediu a seus fãs para procurar saber mais sobre os candidatos de sua cidade, além de pesquisar o histórico de seus partidos e também as bandeiras que cada um deles levanta, como questões ambientais e proteção de minorias.

"Lembra quando falei pra anotar o nome da galera que se coloca a favor do garimpo, retirada do direito dos músicos etc… Então: vamos buscar essas pessoas, ver quem se associa a elas e garantir que estejam longe das nossas opções de voto", escreveu Anitta em um dos tweets.

Apesar de não pedir votos para nenhum candidato ou partido em específico, Anitta deu um recado claro a respeito do voto consciente e aproveitou para alfinetar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), de quem ela se tornou crítica nos últimos meses.

Segundo ela, o presidente e seus apoiadores possuem pautas conservadoras e nada preocupadas com problemas sociais ou ambientais. "Vamos tentar procurar opções que representem a minoria na política: mulheres, indígenas, negros, LGBTQ+, jovens", pediu.

Por fim, declarou suas preocupações: "Estou dizendo que só por isso serão ótimos candidatos de bom caráter etc etc? Não pq não sou maluca da cabeça. Mas estou dizendo pra tentar buscar boas opções que representem as minorias".

Comentários