Cenapop
FAMOSOS

Fãs na fila do velório de Gugu contam histórias do apresentador: “Ele poderia ter vivido mais”

Gugu Liberato morre aos 60 anos após acidente doméstico nos Estados Unidos
Gugu Liberato morre aos 60 anos após acidente doméstico nos Estados Unidos - Foto: Reprodução/RecordTV

Redação Publicado em 28/11/2019, às 11h56 - Atualizado às 12h01

Quando a morte de Gugu Liberato foi anunciada oficialmente, centenas de fãs do apresentador passaram a homenageá-lo nas redes sociais.

Quase uma semana depois, finalmente chegou a hora da despedida: o corpo de Gugu será velado nesta quinta-feira (28/11) na Assembléia Legislativa de São Paulo, onde ficará em caixão aberto até amanhã, quando será levado para o enterro no cemitério Gethsêmani, no Morumbi.

Mesmo antes da chegada do caixão na ALESP, muitos fãs já se aglomeravam debaixo de chuva na fila para prestar suas últimas homenagens ao icônico apresentador e empresário, que fez história na TV brasileira. Segundo a Revista Quem, as pessoas que esperam na frente do prédio contam histórias de admiração por Gugu.

O desempregado Saulo Duarte Soares, disse que está na fila desde terça-feira à espera de Gugu. “Estou desempregado. Ex-gari. Moro em Juquiá, foram quatro horas de viagem para chegar aqui. O Gugu representa tudo para mim. Nunca tive oportunidade de vê-lo, mas conheço suas obras, que são boas. O quadro De Volta Para a Minha Terra me motivou muito. Ver as pessoas podendo voltar para sua terra. Isso mexia com o sentimento da gente. A gente se vê como se estivesse naquilo”, disse.

Em seguida, Saulo lamentou a partida precoce do apresentador, que morreu aos 60 anos. “Ele poderia ter vivido mais, é um ser humano que só faz o bem. O mundo precisa de mais gente assim”, afirmou.

Saulo Duarte, José Alves e Francisco de Assis: fãs de Gugu contam a admiração pelo apresentador – Foto: Marina Bonini/QUEM

O organizador de caravanas José Alves, que também é agente de turismo, disse que já levou muita gente para o auditório onde eram gravados os programas de Gugu. “Sou de Recife, mas estava aqui a trabalho. Aproveitei para vir ao velório. Há 15 anos trabalho com caravanas e já fui a vários programas dele, desde os tempos no SBT. O Gugu era uma pessoa bem transparente. Ele batia fotos com a gente no intervalo e era muito legal”, relembrou.

“Ele começou de baixo e permaneceu no mesmo equilíbrio. Ninguém esperava essa noticia. A gente torcia para ele voltar com vida”, comentou José, que disse estar na fila desde as 4h da manhã de hoje.

Francisco de Assis, conhecido atualmente como Palhaço Chupetinha, disse ter conhecido Gugu no final dos anos 70, e tem uma boa recordação dele. “Eu conheci o Augusto no Programa Silvio Santos, tinha ido para me apresentar no Show de Calouros. Era uma segunda-feira, ele tinha mudado o dia de gravar. Então, eu não tinha dinheiro para voltar. Ele estava saindo e me perguntou: ‘Para onde está indo?’ Falei que ia para Osasco. Então, ele me disse: ‘É caminho, que vou para a Lapa’. Ele pagou a passagem para mim”, recordou.

“Desceu na Lapa com uma mochila nas costas e um passe escolar. Ele ainda não era o Gugu. Na época, eu tinha 16 para 17 anos. Ele tinha 15 anos. Guardei essa atitude dele e, por isso, vim aqui hoje para me despedir”, lamentou.

Comentários