CURIOSIDADES

Pais fazem abaixo-assinado para tirar diretora de escola que se declarou fã de Iron Maiden no Canadá

Alunos fizeram petição para manter diretora fã de Iron Maiden, que conseguiu milhares de assinaturas

Alunos posam com pôster do Iron Maiden como forma de apoio a diretora fã da banda - Foto: Reprodução / Instagram
Alunos posam com pôster do Iron Maiden como forma de apoio a diretora fã da banda - Foto: Reprodução / Instagram

Redação Publicado em 18/10/2021, às 09h42

Os alunos da Eden High School, no Canadá, tiveram que suar a camisa para manter a diretora do colégio, Sharon Burns, no comando da instituição depois que vários pais se reuniram para pedir a saída dela por ter se declarado fã de heavy metal, mais especificamente da banda inglesa Iron Maiden.

A história surgiu na mídia na semana passada, quando "pais preocupados" criaram uma petição para solicitar a transferência de Sharon para outro colégio assim que ficaram sabendo do gosto musical da diretora, que eles consideraram "satânico", portanto, uma má-influência para seus filhos.

Como resposta, alunos e apoiadores de Sharon, indignados com a situação, criaram outra petição em um site online para pedir a permanência dela na direção da escola. Segundo o texto publicado em um site de petições online, Sharon “transformou o colégio em um lugar seguro para tantas pessoas” e por isso ela deve ficar.

A situação repercutiu nas redes sociais e a petição dos alunos -- que ilustraram o pedido com uma foto de alguns deles posando ao lado de uma bandeira do Iron Maiden -- conseguiu um resultado expressivo: enquanto o pedido dos pais chegou a 500 assinaturas, a dos adolescentes chegou a 25 mil.

O jornal local "National Post", que cobriu a história, revelou que Sharon Burns será mantida como diretora no Eden High School. "Estou surpresa que essa história explodiu desse jeito. É engraçado, bobo e frustrante ao mesmo tempo", declarou Karrie Porter, membro do conselho educacional da cidade de St. Catharines, onde fica o colégio.

A publicação também conversou com a chefe de comunicações do conselho, Kim Sweeney, que reafirmou a decisão positiva para a diretora depois que o Conselho Escolar do Distrito de Niagara analisou a situação.

Para ela, a questão está "encerrada" e garantiu que nenhuma ação disciplinar ou mudança de políticas será tomada contra Sharon. "Nossa crença é de que o gosto musical é subjetivo e nós apoiamos que tanto os estudantes quanto a equipe [do colégio] curtam uma grande variedade de gêneros", declarou ela.

Comentários