Cenapop
FAMOSOS

Rafa Kalimann pede desculpas por dublar Mari Ferrer no TikTok: "Minha intenção era outra"

Após críticas, a ex-BBB20 se disse arrependida por ter dublado a fala em que Mariana implora respeito

Rafa Kalimann foi criticada e apagou a postagem na rede social
Rafa Kalimann foi criticada e apagou a postagem na rede social - Reprodução/Instagram

Redação Publicado em 05/11/2020, às 20h23

A ex-BBB 20 e influencer Rafa Kalimann resolveu dublar um trecho do vídeo da audiência de Mariana Ferrer em sua conta no TikTok nesta quinta-feira (05/11). No entanto, sofreu críticas pesadas pela falta de bom gosto e precisou pedir desculpas.

O caso de Mariana tem repercutido por todo o país, após o vídeo da audiência onde ela foi destratada pelo advogado da defesa sair na internet.

Em um determinado momento do vídeo, Mari implora por respeito: "Excelentíssimo, eu estou implorando por respeito, no mínimo. Nem os acusados, nem os assassinos, são tratados da forma com que eu estou sendo tratada", afirmou na ocasião.

Pouco tempo depois, Rafa deletou o vídeo de sua conta na rede social e utilizou outra, o Twitter, para se desculpar junto ao público.

"Peço desculpas de todo coração pelo meu último tiktok, fui infeliz e indelicada. Minha intenção era outra. Reconheço totalmente meu erro e agradeço quem me alertou!", disse a influencer em seu perfil no Twitter.

No entanto, muitos internautas criticaram a ex-BBB nas respostas ao tweet. "Qual era sua intenção, amada? Não precisava pensar muito pra imaginar que isso repercutiria mal", alertou um deles.

"É tão cruel usar o áudio de uma audiência tão séria e delicada pra fazer dublagem. Além de ser gatilho para outras mulheres, é doloroso ver que estão banalizando por like", afirmou outra. "Noção mandou lembranças. Esses influenciadores não tem responsabilidade nenhuma pelo conteúdo que postam. Fazem tudo por dinheiro, views e likes. Bizarro!", comentou uma terceira.

Ontem (04/11), para declarar apoio a causa de Mari, Rafa publicou no Instagram um foto em preto e branco onde aparece de costas e nua, acompanhada de um texto. "Não importa como me visto, como escolho estar, se bêbada, se sóbria, se vestida ou nua. Não importa onde estou, com quem estou, não importa a pose, a foto. NÃO IMPORTA porque NÃO É NÃO!", disse em um primeiro trecho.

"Nós temos o direito de respeito e segurança! O CHORO NÃO É FALSO, é de humilhação, de dor, de desprezo, de cansaço, dela, nosso e de cada uma que se cala todos os dias. Isso desencoraja mulheres que precisam de ajuda todos os dias e vem do lugar que as cobra para denunciar. Pra mais humilhações como a que vimos hoje?", questionou em seguida.

 

Entenda o caso

Tudo começou quando uma reportagem do site The Intercept revelou um vídeo que mostrou os erros na condução do processo onde ela acusava o empresário André de Camargo Aranha de tê-la atacado enquanto estava inconsciente.

Além disso, mostrou a atitude do advogado de defesa, Cláudio Gastão da Rosa Filho, que humilhou Mari durante a audiência que acabou com a absolvição de Aranha.

No processo, foi usado o termo "estupro doloso", que não existe no Código Penal e tem sido considerado uma aberração jurídica aceita equivocadamente pelo juíz Rudson Marcos, da 3ª Vara Criminas de Florianópolis, onde o processo correu.

A influencer fez a denúncia em maio do ano passado. Em sua conta em uma rede social, ela contou que foi dopada e estuprada durante uma festa em dezembro de 2018.

Comentários