Cenapop
FAMOSOS

Paulo Gustavo nunca deixou de atender fãs na portaria de seu prédio, diz porteiro

Cristino Silva comentou sobre o carinho do ator com o público

Paulo Gustavo morou no prédio em que Cristino trabalha até os 35 anos
Paulo Gustavo morou no prédio em que Cristino trabalha até os 35 anos - Foto/Reprodução

Redação Publicado em 06/05/2021, às 08h07

O ator e humorista Paulo Gustavo deixa um grande legado após não resistir às complicações da Covid-19, nesta terça-feira (04/05). Morando até os 35 anos em um edifício em Niterói, ele jamais deixou de atender seus fãs, que lovatam a portaria do prédio. 

Após se casar com o dermatologista Thales Bretas, ele se mudou para a Zona Sul do Rio, na Praia de Icaraí. O porteiro Cristino da Silva conta à revista Quem: "Ele veio morar aqui e a mãe dele, a Dona Déa, não. Ela morava na Rua Miguel de Frias. Só veio para cá depois que ele saiu. Ele morava no nono andar e foi o último lugar que ele morou em Niterói. O apartamento tem quatro quartos, é bem grande porque são dois por andar."

O apartamento era alugado e o aluguel, atualmente, era de aproximadamente R$ 10 mil e o condomínio custa R$ 2.760. O ator era muito querido pelos funcionários e os vizinhos: "Ele era sempre divertido, alegre e carismático no tratar com as pessoas. Uma pessoa simples, comum. Ficamos muito tristes com a partida dele. A portaria ficava lotada de fãs e ele atendia todo mundo na medida do possível porque nunca estava em casa."

Ele prosseguiu: "Mas ele nunca estava sozinho. A casa vivia sempre muito cheia. A Samantha Schmutz era uma que estava sempre com ele. Ele não fazia barulho, era superdiscreto, politicamente correto". Cristino relembra da época em que Xuxa foi até o prédio para entrevistar Dona Déa, mãe de Paulo, de surpresa em 2015: "Ela passou aqui na portaria com uma câmera nas costas, dizendo que ia fazer uma entrevista e era a Xuxa que estava com a câmera e eu não percebi. Ela estava disfarçada. Dona Déa não sabia de nada."

O porteiro ainda diz que não se esquece do carinho de Paulo com todas as pessoas que o rodeavam: "Quando ele foi fazer o show dele em SG ele levou todos os porteiros. Só não fui porque estava de serviço. Ele levou faxineiro, porteiro, todo mundo. A morte do Paulo deve ter sido um tsunami para a Dona Déa. Por mais que ele estivesse sofrendo esse tempo todo, foi o ápice do terremoto. Isso é uma coisa que ninguém espera, eles eram muito unidos, muito colados. O Paulo era uma pessoa simples, amiga, generosa. Vai fazer muita falta", lamentou.

Paulo estava desde o dia 13 de março internado no Rio de Janeiro para poder tratar a doença e precisou ser intubado no dia 21 do mesmo mês. O ator também precisou usar a ECMO (Oxigenação Extracorpórea por Membrana, ou 'pulmão artificial') e chegou a passar por uma cirurgia para remover uma fístula bronco-pleural, no qual começou a atrapalhar a circulação de ar pelo corpo. 

Ainda nesta terça-feira, o último boletim médico revelou um quadro irreversível após a constatação de embolia gasosa disseminada no último domingo (02), em decorrência de uma fístula brônquio-venosa: "O estado de saúde do paciente vem deteriorando de forma importante. Apesar da irreversibilidade do quadro, o paciente ainda se encontra com sinais vitais presentes."

A assessoria do humorista confirmou a informação na última noite: "Às 21:12h desta terça-feira, 04/05, lamentavelmente o paciente Paulo Gustavo Monteiro faleceu, vítima da COVID-19 e suas complicações. Em todos os momentos de sua internação, tanto o paciente quanto os seus familiares e amigos próximos tiveram condutas irretocáveis, transmitindo confiança na equipe médica e nos demais profissionais que participaram de seu tratamento. A equipe profissional que participou de seu tratamento está profundamente consternada e solidária ao sofrimento de todos."

Ele deixou o marido, Thales Bretas, e dois filhos. Diversos artistas prestaram homenagem à ele e solidariedade a todos os familiares, fãs e amigos. 

A cidade de Niterói declarou luto de três dias em homenagem a Paulo Gustavo. Além disso, a Prefeitura da cidade natal do ator convocou um grande aplauso em sua homenagem, e à todas as vítimas do coronavírus, nesta quarta-feira (5), às 20:00.

Comentários