FAMOSOS

Paulo Coelho diz que o mundo nunca sentiu pena do Brasil: "Agora sente"

Paulo Coelho lamentou situação política brasileira em sua conta no Twitter

Paulo Coelho costuma fazer declarações sobre o Brasil na web - Foto: Reprodução / Instagram
Paulo Coelho costuma fazer declarações sobre o Brasil na web - Foto: Reprodução / Instagram

Redação Publicado em 24/09/2021, às 10h30

Paulo Coelho costuma dar sua opinião sobre a vida nacional em sua conta no Twitter, e na noite de ontem (23/09) ele voltou a lamentar a situação política do país.

O escritor fez um desabafo na rede social: "O mundo já invejou, já amou, já desejou o Brasil. Nunca sentiu pena. Agora sente", escreveu ele, que recebeu dezenas de respostas que refletem a polarização política: muitos comentários concordando com Paulo, enquanto outros o ofendendo por discordar de sua visão.

"Esse Brasil político aí não nos representa! Somos um povo acalentador! Gostamos da miscigenação, temos nossos males, nossos preconceitos, mas somos, no fundo, um povo bom! O grande problema é que o mal faz propaganda. O bem age em silêncio!", disse uma seguidora do escritor.

Outro concordou: "Antes fosse só pena. Acho que sentem também desprezo e vergonha alheia. Mas o Brasil fez por onde, embarcou na onda dos gestos de arminha e tomou decisões que vão comprometer anos e anos a imagem do país".

Entre os negativos, houve quem acusasse Paulo de partidarismo: "Falou o morador da Suíça que sabe tudo de Brasil. Melhor seria se o país estivesse nas mãos do seu amigo bufão, com os roubos e corrupção dos últimos 30 anos. Ouvi dizer que há muitas cavernas nas montanhas suíças. Vai dar um passeio por lá e para de espalhar idiotices".

Em julho, Paulo e sua mulher, Christina Oiticica, se colocaram à disposição para custear um festival de jazz que teve o pedido de captação de recursos pela Lei Rouanet negado pelo governo federal, que usou argumentos religiosos e políticos para barrar o financiamento.

O escritor e a artista plástica apareceram nas redes sociais para se oferecer para bancar o projeto através da fundação que ambos mantém. Ambos são críticos ao atual governo brasileiro.

"Fundação Coelho & Oiticica se oferece para cobrir os gastos do Festival do Capão, solicitados via Lei Rouanet (R$ 145,000). Entrem em contato via DM pedindo a alguém que sigo aqui que me transmita. Única condição: que seja antifascista e pela democracia", disse a postagem feita em nome de Coelho.

Comentários