FAMOSOS

Leoni vai relançar livro sem declaração homofóbica de Samuel Rosa: "Se arrependeu e pediu"

Leoni relança segunda edição do livro Letra, música e outras conversas, de 1996

Na obra, músico entrevistou diversos artistas sobre a composição - Foto / Reprodução
Na obra, músico entrevistou diversos artistas sobre a composição - Foto / Reprodução

Redação Publicado em 21/10/2021, às 08h49

Leoni contou sobre o relançamento da segunda edição de seu livro "Letra, música e outras conversas" (1996), com algumas alterações. Uma delas é a retirada de uma declaração homofóbica de Samuel Rosa, que saiu da obra a pedido do próprio vocalista do Skank.

Em uma live com a cantora Marina Lima no Instagram, Leoni explicou: "Sabe uma coisa que lembro muito desse livro seu, que você me contou na época e que eu nunca esqueci. Depois eu fui compor com esse cara."

"Sabe uma coisa que lembro muito desse livro seu, que você me contou na época e que eu nunca esqueci. Depois eu fui compor com esse cara. Você me contou que o Samuel Rosa tinha te dito uma coisa tão louca, que música com mais de três acordes era coisa de viado. Eu fiquei com isso na cabeça pesando: 'mas que grilo, que medo, mais um acordezinho e vai que...'. Depois eu fui compor com ele e vi que ele era um doce, mas não falei nada", disse. 

A pedido de Samuel, o músico tirou a declaração da nova edição do livro: "Ele se arrependeu muito daquilo. Saiu no livro, mas ele me pediu para tirar da segunda edição. São coisas que a gente falava naquela época e que não tem mais a ver. No livro, eu percebi que a gente mudou muito, tem perguntas ali que eu não faria de novo".

"Percebi que nós temos o direito e mudar. Não se pode julgar o passado com os olhos de hoje", completou o músico.

 
 
 
 
 
View this post on Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Leoni (@leonioficial)

Comentários