Cenapop
FAMOSOS

Isaac Hanson, ex-integrante do grupo Hanson, diz que o Natal não pode ser cancelado por causa da COVID-19

Sucesso na década de 90, os irmãos Hanson são atualmente cristãos fervorosos

Isaac Hanson, membro do trio que leva seu sobrenome, é cristão fervoroso nos dias atuais
Isaac Hanson, membro do trio que leva seu sobrenome, é cristão fervoroso nos dias atuais - Reprodução/Instagram

Redação Publicado em 03/11/2020, às 14h49

Isaac Hanson, o irmão mais velho do trio pop Hanson, que fez sucesso na década de 90 com músicas como "MMMBop", postou stories em seu Instagram afirmando que não tem medo da COVID-19, e que não vai aceitar o cancelamento do Natal.

Após ser criticado por sua opinião, o cantor continuou com sua opinião, afirmando que é preciso propor um limite ao medo imposto pela doença que já matou milhões de pessoas em todo o mundo e que ainda não tem cura.

O cantor afirmou: "2020 tem sido muito difícil para todos nós, eu tenho certeza disso. Agora que estamos 10 meses nessa pandemia, precisamos começar a nos fazermos perguntas difíceis. (...) O que estou perguntando é: Se essa pandemia persistir, qual seu limite com a COVID/isolamento?"

Vale lembrar que os Estados Unidos é o pais com mais casos de COVID-19 no mundo inteiro.

Veja a tradução completa:

Estou feliz que disse o que disse sobre ter um limite para mim com COVID... Então me deixe dar mais contexto já que minha postagem saiu do nada.
2020 tem sido um ano muito difícil para todos nós, tenho certeza disso. Agora que estamos entrando em 10 meses de pandemia temos que perguntarmos a nós mesmos várias questões difíceis. Estive discutindo isso com várias pessoas e agora estou dividindo isso com vocês.

A maior questão que estou me perguntando é: "Já que essa pandemia persiste, qual é seu limite com COVID/Isolamento?"

- 0 casos
- 1 caso a cada 1000, ou 10000, ou 100000, ou 1000000
- É a vacina?
- Importa quanto tempo leva para termos a vacina, e quem estará no comando quando ela sair?
- Como nós podemos prover para nossas famílias e nos "mantermos seguros", quando as coisas continuam a serem "não seguras"
- Qual é o limite?

Essas são perguntas irracionais? Você tem um limite? Se sim, qual é?
Qual é o seu limite?

Comentários