FAMOSOS

Agnes Brichta comenta relação com Vladimir Brichta e relembra morte da mãe: "Guardei pouquíssimas memórias"

Agnes Brichta perdeu a mãe, Gena Karla Ribeiro, vítima de doença rara em 1999

Atriz diz que ela o pai se entendem com muita facilidade - Foto / Reprodução
Atriz diz que ela o pai se entendem com muita facilidade - Foto / Reprodução

Redação Publicado em 03/12/2021, às 08h56

Agnes Brichta relembrou da morte de sua mãe, Gena Karla Ribeiro, em entrevista à coluna de Patrícia Kogut, do jornal O Globo. A atriz também comentou sua relação com o pai, Vladimir Brichta, com quem estreou na novela "Quanto Mais Vida, Melhor!".

Recentemente, após aparecer na nova trama, as buscas sobre a mãe de Agnes aumentaram no Google. Gena foi vítima de porfiria, uma doença rara que afeta o sangue, em 1999. Na época a atriz tinha apenas 2 anos: "Eu vi essa nota e achei curiosa. Consigo compreender a reação das pessoas. Elas estão me vendo com o meu pai na televisão. Como eu tinha 2 anos, guardei pouquíssimas memórias."

Ela prosseguiu: "Tenho certeza de que ficaria animada e me apoiaria. Ela era artista também. Não tive muitas experiências com ela, mas, quando as pessoas falam, vejo que foi uma mulher incrível. Tenho a impressão de que ela curtiria muito". Vladimir, então, iniciou na Justiça uma disputa com a sogra pela guarda da filha. Ele assumiu relacionamento com Adriana Esteves, considerada como mãe para Anges, em 2004:

"Essa também é uma experiência de que tenho mais notícia pelas pessoas do que lembranças de fato. Eu tinha 5 anos só. Por mais que seja sobre mim, pertence muito a eles essa história. O que aconteceu realmente está mais nas narrativas deles do que na minha", disse. Morando com o ator, a jovem afirma que o tempo de convivência aumentou por devido ao trabalho. "Eu e meu pai nos entendemos com muita facilidade, é bem impressionante. Não consigo imaginar a gente brigando ou eu me cansando dele. A gente não ficou colado no trabalho."

"Estávamos ocupando o mesmo lugar, mas respeitando o espaço do outro. Temos maneiras diferentes para concentrar, lidar, decorar o texto... É uma conduta profissional", finalizou ela. 

Comentários