CINEMA

Stellan Skarsgård opina sobre polêmica de Scorsese e Ridley Scott contra filmes da Marvel

Stellan Skarsgård participou dos filmes-solo de "Thor", na Marvel

Stellan Skarsgård opinou sobre polêmica envolvendo Scorsese e Scott e os filmes da Marvel - Foto: Reprodução / Marvel Studios
Stellan Skarsgård opinou sobre polêmica envolvendo Scorsese e Scott e os filmes da Marvel - Foto: Reprodução / Marvel Studios

Redação Publicado em 29/11/2021, às 16h20

Stellan Skarsgård deu a sua opinião a respeito da polêmica envolvendo alguns diretores consagrados, como Martin Scorsese e, mais recentemente, Ridley Scott, contra as produções da Marvel Studios.

O ator, que participou do Universo Cinematográfico da Marvel na série de filmes envolvendo Thor, foi questionado sobre o assunto pelo portal "HoggyBear", em entrevista reproduzida pelo "The Guardian" durante o fim de semana -- e foi didático ao expor seu ponto de vista.

"Eu não tenho nada contra filmes de super-heróis. Eu já estive em vários e eles definitivamente possuem um lugar. O problema é que o sistema, que permite que 8 pessoas tenham metade da riqueza do mundo, aumenta a força do mercado, então cinemas pequenos e independentes raramente existem fora das grandes cidades", começou.

Não há distribuição para filmes de pequeno e médio porte, mesmo possuindo melhores atores, melhores roteiros, pois eles não podem investir 3 milhões de dólares em uma campanha de marketing. Quando os cinemas os exibem, eles ficam uma semana e não pagam aquela semana, sendo removidos.

Skarsgård recordou a estreia de um dos maiores clássicos do cinema contemporâneo: "Lembre que 'O Poderoso Chefão' abriu pela primeira vez em 100 cinemas nos Estados Unidos -- grandes filmes agora abrem em 4 mil. Ele tinha poucos anúncios no New York Times, mas cresceu depois por ser um bom filme. A opinião das pessoas não tem chance mais. E isto é triste".

Por fim, defendeu a co-existência dos filmes comerciais e autorais. "Eu penso que deveríamos ter filmes da Marvel e outros filmes também. E esta é a parte triste: quando a força do mercado entra, os estúdios começam a ser administrados por empresas que não ligam se eles estão lidando com filmes ou pastas de dente, desde que tenham lucro. Quando a AT&T tomou a Time Warner, ela disse logo para a HBO para ficar mais leve e comercial. Eles sempre estão fazendo dinheiro. Mas nunca o bastante para um investidor", finalizou.

Comentários