A FAZENDA

A Fazenda 2021: Equipe de Dayane pede vídeo-chamada para falar sobre possível abuso

Equipe jurídica de Dayane Mello quer falar com a peoa sobre possível abuso de Nego do Borel

Dayane Mello e Nego do Borel: funkeiro é acusado de tentar abusar de modelo - Foto: Reprodução / Playplus
Dayane Mello e Nego do Borel: funkeiro é acusado de tentar abusar de modelo - Foto: Reprodução / Playplus

Redação Publicado em 25/09/2021, às 14h58

A equipe jurídica de Dayane Mello ainda não conseguiu falar com a peoa, que está no confinamento em "A Fazenda 13" (RecordTV). Advogados e policiais estiveram em Itapecerica da Serra, região metropolitana de São Paulo, para tentar conversar com a modelo após possível abuso sexual cometido contra ela por Nego do Borel.

No entanto, os responsáveis pela área jurídica de Dayane demonstraram não ter conseguido contato com ela por enquanto. Através do Twitter, pediram para o diretor Rodrigo Carelli e para a própria emissora uma possibilidade de falar com ela sobre o ocorrido.

"Já que não podemos ter o contato direto com a participante, devido os protocolos do covid-19, que vocês ao menos nos permitam uma vídeo-chamada monitorada com a participante Dayane Mello", disse o texto publicado na rede social na tarde deste sábado (25/09).

A equipe jurídica de Dayane foi para a porta do confinamento em Itapecerica da Serra, região metropolitana de São Paulo, acompanhada de três viaturas da GCM (Guarda Civil Metropolitana) para tentar entrar na sede.

"A polícia precisa entrar na sede para que sejam recolhidas as evidências do ocorrido, como roupas de cama, preservativo, vestimenta da vítima e do acusado, depoimentos, entre outros", disseram os responsáveis pela defesa da modelo através do Twitter.

O texto prosseguiu: "A polícia e a equipe jurídica estão na porta da sede de 'A Fazenda' neste exato momento, tentando contato imediato para que o jurídico e as autoridades possam a dar andamento nos trâmites legais do caso. Infelizmente a produção está dificultando o contato e averiguação dos fatos".

A situação tem causado alvoroço nas redes sociais, com a quase unanimidade das reações pedindo a expulsão do funkeiro e até mesmo a sua prisão. A tag "Não é Não" alcançou, no começo da tarde de hoje, cerca de 1,2 milhões de citações no Twitter.

Comentários