Revoltada, Charlize Theron desmente Harvey Weinstein sobre eles terem dormido juntos

Revoltada, Charlize Theron desmente Harvey Weinstein sobre eles terem dormido juntos - Foto: Reprodução

Revoltada, Charlize Theron desmente Harvey Weinstein sobre eles terem dormido juntos – Foto: Reprodução

Em entrevista publicada pelo The New York Times, a atriz Charlize Theron se mostrou revoltada com as alegações de Harvey Weinstein, o ex-poderoso produtor de Hollywood, que afirmou ter dormido com ela.

Theron, de 44 anos, disse que Harvey mentiu ao afirmar que eles passaram algumas noites juntos, e que ele usava essa mentira para convencer outras atrizes a fazer o mesmo com ele. “Uma de suas frases era que Renée (Zellweger) e eu dormimos com ele para conseguir emprego”, disse. “Não havia limite para ele”.

Segundo Theron, Weinstein usou desse mesmo expediente com várias outras mulheres da indústria. “Colocando mulheres uma contra a outra? Ele era muito, muito bom nisso”, revelou a atriz. “Havia muito do tipo ‘Bem, eu estou conversando com Gwyneth (Paltrow) para este filme…’ Mesmo em favores sexuais, ele ainda nos colocava uma contra a outra”, contou.

Em 2017, Zellweger, de 50 anos, negou veementemente as alegações do ex-produtor. Em um comunicado enviado para a revista People, ela disse: “Se Harvey disse isso, ele está cheio de mer**”. Ele teria dito para outras atrizes que teria dormido com Theron, Zellweger e Paltrow em troca de ajuda para suas carreiras – ele usava essas desculpas para convencer atrizes iniciantes a dormirem com ele.

À época, um porta-voz de Weinstein negou que ele tenha feito essas insinuações. “Sr. Weinstein nega veementemente essas acusações e nunca afirmou que dormiu com nenhuma delas. É ridículo que alguém acredite que essas mulheres talentosas, vencedoras de prêmios da Academia, tenham proporcionado favores sexuais em troca de papéis conquistados com base em seu talento e trabalho brilhante. Simplesmente não é verdade”, declarou.

Atualmente, Harvey Weinstein responde na justiça por vários crimes de importunação sexual e irá à julgamento em janeiro de 2020, acaso de estupro, agressão sexual predatória e ato sexual criminal. Ele foi o principal acusado do movimento #MeToo, que varreu Hollywood de 2017 em diante.

Comentários