“Alexia é a personagem que mais se parece comigo”, diz Deborah Secco sobre novo papel

"Alexia é a personagem que mais se parece comigo", diz Deborah Secco sobre novo papel - Foto: Reprodução/Instagram

“Alexia é a personagem que mais se parece comigo”, diz Deborah Secco sobre novo papel – Foto: Reprodução/Instagram

Após dar vida a dramática Karola em Segundo Sol, exibida em 2018, Deborah Secco se prepara para voltar à TV. Ela viverá um dos papéis principais em Salve-se Quem Puder, novela das sete da Rede Globo que estreará em janeiro.

Na trama ela viverá Alexia, que segundo ela, é um personagem mais leve. ”Eu falava que a Karola era o meu extremo oposto e a Alexia é a personagem que mais se parece comigo. Sou uma pessoa um pouco intensa, como ela”, riu a atriz em entrevista para a Revista Quem publicada nesta terça-feira (03/12). “Vocês conhecem meu passado e também já fui um pouco namoradeira, ela gosta muito de comer e tenho também essa obsessão com a comida. Pela primeira vez estou aceitando fazer um pouco eu. Sempre tentei levar as minhas personagens para longe de mim, mas como a Alexia tem coisas tão minhas não dá para comer diferente, por exemplo. Comer com obsessão é comer com obsessão e sei que eu tenho essa obsessão por comida”, analisou.

Na história, criada por Daniel Ortiz e dirigida por Fred Mayrink (com direção geral de Marcelo Travesso), Alexia, Luna (Juliana Paiva) e Kyra (Vitória Strada) tem suas vidas completamente alteradas depois de presenciarem um assassinato enquanto estavam em Cancun, no México. Condenadas a viver sob a custódia do Programa de Proteção à Testemunha e à sombra de novas identidades, elas iniciam uma outra vida na fictícia Judas do Norte, no interior de São Paulo, depois que são dadas como mortas.

 

“Precisava muito fazer humor”, diz a atriz

Deborah Secco, Juliana Paiva e Vitória Strada, o trio principal de Salve-se Quem Puder - Foto: Reprodução/Globo

Deborah Secco, Juliana Paiva e Vitória Strada, o trio principal de Salve-se Quem Puder – Foto: Reprodução/Globo

Sobre o enredo, Deborah comentou: “Outro dia me perguntaram o que faria se tivesse que mudar de nome. Tirando a coisa de ter que viver sem a minha filha (Maria Flor, fruto de sua relação com o ator Hugo Moura) e a minha família, que talvez fosse a única coisa hoje que fosse me fazer sofrer, ia amar uma nova proposta”, disse a atriz.

“Talvez optasse por algo que nunca pensei. Porque talvez fosse de fato o que realmente me faria feliz. Fiquei pensando em morar na Austrália e viver sem dinheiro. Tem um reality que mostra um cara que vive na Austrália sem dinheiro e senta e fica esperando largarem comida. É uma boa proposta. Dica dele: as crianças e os velhinhos sempre largam mais”, riu.

Na entrevista, Deborah comentou que vê Juliana e Vitória, suas companheiras na novela, com um olhar maternal. ”Tenho as duas quase como minhas filhas. Eu me sinto na obrigação de cuidar delas, de ajudá-las, como fizeram comigo muitos anos atrás. Eu nunca tinha trabalhado nem com a Ju nem com a Vitória, foi um encontro genuíno, uma simpatia imediata”, revelou Deborah, que estrou na Globo com 11 anos na novela Mico Preto, de 1990.

Em seguida, ela foi só elogios para as duas: “Fico encantada com a Ju, que menina profissional, dedicada, concentradíssima. A Vitória veio com uma energia tão louca para fazer que ela virou a própria personagem. Ela é intensa. Estou muito encantada! Tenho muito orgulho de ter essas pequenininhas comigo”, complementou.

Por fim, Deborah afirmou que sentia falta de fazer comédia. ”Precisava muito fazer humor. Acho que o maior atrativo quando me convidaram para interpretar a Alexia era saber que vinha para um universo leve e divertido. Tive grandes personagens de humor e sou muito grata a eles. Saio da comédia louca para voltar para o drama. Gosto muito, me divirto e o Daniel (Ortiz, autor da novela) escreve uma comédia pronta. Estou brincando muito mais do que imaginei”, comemorou.

Comentários