“Nenhuma dor estilhaça a alma quanto a tua”, diz Padre Fábio de Melo para mãe de Gugu

"Nenhuma dor estilhaça a alma quanto a tua", diz Padre Fábio de Melo para mãe de Gugu - Foto: Reprodução/Instagram

“Nenhuma dor estilhaça a alma quanto a tua”, diz Padre Fábio de Melo para mãe de Gugu – Foto: Reprodução/Instagram

Uma das pessoas que se compadeceu da situação de Dona Maria do Céu, mãe de Gugu, foi o padre Fábio de Melo. Ele deixou um recado para ela em seu Instagram nesta sexta (29/11), dia em que o apresentador foi enterrado no Cemitério Gethsêmani, no Morumbi, em São Paulo.

“Maria do Céu. Mas tão presa às dores da terra. Teu filho desce ao chão, tua dor dilacera o ventre, parto às avessas, movimento contrário que faz a vida estabelecer e manter o teu caos. Eu vejo muitas dores todo dia. Mas nenhuma estilhaça a alma quanto a tua”, iniciou o padre em seu texto.

Ele continuou, procurando consolar a mãe de Gugu. “Maria do Céu, ó Maria do Céu, como eu gostaria de aliviar o que te pesa, secar o choro que te cansa, fazer partir o desespero que te assola. Permita-me te abraçar à distância, fazer contigo o mesmo que precisei fazer, duas vezes, com minha mãe: oferecer-me para sofrer contigo. Quando uma mãe precisa sepultar o seu filho, Maria do Céu, tudo o que sabemos da vida parece não fazer mais sentido”, lamentou.

Diversos famosos comentaram a postagem do sacerdote, concordando com suas palavras. “Triste demais, dilacerante”, disse Leda Nagle, que recebeu uma resposta do padre. “A cena mais triste, minha amiga. O olhar dela vendo o filho ser sepultado”.

Dani Calabresa também se manifestou: “Triste demais!”, Simony, comadre de Gugu, também comentou. “Senhor, meu Deus!”.

Gugu sofreu um acidente doméstico na semana passada, onde bateu com a cabeça e teve morte cerebral decretada no último dia 22. Ele deixou orientações para que a família doasse seus órgãos.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Maria do Céu. Mas tão presa às dores da terra. Teu filho desce ao chão, tua dor dilacera o ventre, parto às avessas, movimento contrário que faz a vida estabelecer e manter o teu caos. Eu vejo muitas dores todo dia. Mas nenhuma estilhaça a alma quanto a tua. Maria do Céu, ó Maria do Céu, como eu gostaria de aliviar o que te pesa, secar o choro que te cansa, fazer partir o desespero que te assola. Permita-me te abraçar à distância, fazer contigo o mesmo que precisei fazer, duas vezes, com minha mãe: oferecer-me para sofrer contigo. Quando uma mãe precisa sepultar o seu filho, Maria do Céu, tudo o que sabemos da vida parece não fazer mais sentido.

Uma publicação compartilhada por pefabiodemelo (@pefabiodemelo) em

Comentários